sábado, dezembro 02, 2017

Parnaíba precisa ser grata a Mário Fontenelle

Nossa Parnaíba precisa ser mais grata a Mário Fontenelle, seu filho mais ilustre da fotografia.
Mário Moreira Fontenelle na Praça dos Três Poderes, fotografado por Cláudio Alves
Autodidata e com notável sensibilidade no olhar, o piauiense foi o primeiro fotógrafo oficial de Brasília, e amigo e retratista do presidente Juscelino Kubitschek, de quem ganhara uma câmera Leica 35 milímetros.

Fez mais de 5 mil registros da construção da nova Capital do Brasil. Merece, por sua inestimável contribuição, um maior reconhecimento dos Poderes Executivo e Legislativo de Parnaíba. Seria mais que justa a criação de uma exposição permanente com seu rico acervo imagético, para que os estudantes e a população parnaibana compreendessem a importância de seus feitos para a história de Brasília.

Por andei no Distrito Federal (Câmara dos Deputados, Senado, jornais, portais), o nome do parnaibano Mário Fontenelle foi reverenciado por todos os profissionais de fotografia e de imprensa, principalmente os que tiveram o privilégio de conhecê-lo. Fontenelle é património de Parnaíba e uma lenda, não apenas de Brasília, mas da fotografia brasileira.

Por Ribamar Aragão

Matérias relacionadas: 
Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário