sábado, setembro 17, 2016

Acusado de matar colega de escola justifica crime em mensagem no WatsApp


Mensagens via WhatsApp apontam a suposta motivação da morte do estudante Jerry Júnior de Sousa, 18 anos, assassinado na porta da escola em Parnaíba. Ciúmes da namorada podem ter levado o adolescente de 16 anos a matar o colega de escola. No dia seguinte ao crime, o menor infrator escreveu que 'a vítima o incomodava desde o início do ano'. 

O homicídio ocorreu na porta da Unidade Escolar Doutor João Silva Filho, onde vítima, acusado e namorada do acusado estudavam. Jerry Júnior foi assassinado a golpes de punhal após sair da aula, na última terça-feira (13). As investigações apontam que o suspeito saiu mais cedo da escola para esperar a vítima na calçada do colégio

O caso surpreendeu a direção da escola que revelou que vítima e acusado não tinham histórico de mau comportamento. 

"Os dois nunca me criaram problema. Lembro apenas de uma situação em que o suspeito estava agarrado com a namorada e eu fui lá e disse que na escola era proibido namorar. Ele pediu desculpa e disse que não sabia e pronto...não teve problema nenhum. Sou diretor da escola há 21 anos e nunca tinha visto nem discussão na porta da escola. A 'ficha' ainda não caiu", disse o diretor Edvaldo Cunha.

A Polícia Civil de Parnaíba descobriu ainda que, quase um mês antes do crime, o suspeito postou uma foto no Facebook em que aparece com uma arma de grosso calibre. 

Familiares de Jerry Júnior estão inconsolados. A mãe continua em estado de choque. Emocionado, o pai lamenta o fato do suspeito ser menor de idade. 

"Na hora eu fiquei neutralizado porque meu filho era um menino bom. Todo mundo ficou sentido e sem chão.. Foi muito difícil receber a notícia, a pior da minha vida, em 44 nanos de idade", disse o pai Jerry Araújo. 

Amanda Caroline, que namorava a vítima há mais de um ano, relembra aos prantos a última carta escrita por ele e diz: "Ele destruiu a minha vida e a dele". 

O delegado da Central de Flagrantes de Parnaíba, João Rodrigo Luna, sustenta que o crime foi preemeditado e praticado com muita violência. 

"O ato infracional foi praticado com muita violência e premeditado. A motivação, provavelmente, foi ciúmes...o que não quer dizer que havia algo entre a vítima e a namorada do suspeito. Tudo pode ter partido da cabeça do menor infrator. Entre a vítima e a namorada do menor havia apenas uma relação de amizade pois os dois estudavam na mesma sala", disse o delegado. 

O menor infrator permanece na Casa de Custódia de Parnaíba e deve ser transferido para Teresina. 

"O ato infracional corresponde a homicídio doloso e é considerado crime hediondo. Se fosse adulto, poderia ficar até 30 anos preso, mas como é menor de idade, o tempo máximo de internação é de três anos", finaliza João Rodrigo Luna.

Matéria relacionada

Por Graciane Sousa/Cidade Verde | Edição: Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.