terça-feira, julho 21, 2020

Cientistas da UFDPar publicam Editorial em importante revista científica internacional e lançam discussão sobre o uso de um novo fármaco para COVID-19

Professores idealizadores da hipótese: Dr. Jand Venes Medeiros e o. Dr. Lucas Nicolau

Os pesquisadores Prof. Dr. Lucas Nicolau (Departamento de Medicina) e Jand Venes Medeiros (Programa de Pós-graduação em Biotecnologia), ambos da UFDPar, publicaram em Editorial para a revista “Expert Review of Clinical Pharmacology” uma hipótese sobre uma nova estratégia terapêutica para o estágio tardio da COVID-19, onde há complicações pulmonares e lesões remotas e outros órgãos provocadas pela infecção por SARS-CoV-2 (vírus que causa a COVID-19).

A hipótese apresentada no Editorial se baseia na utilização de drogas ativadoras específicas da ECA2, que é a porta de entrada do SARS-CoV-2. Entre essas drogas, o uso do aceturato de diminazeno, potente ativador da ECA2 e comercializado com o nome de Berenil® para tratamento de algumas parasitoses, poderia ser importante na terapia da COVID-19. A literatura científica mostra que o SARS-CoV-2 provoca uma diminuição acentuada da ECA2 em quase todos os órgãos, sendo esse um dos fatores responsáveis por provocar insuficiência pulmonar, cardiovascular, renal, distúrbios gastrintestinais e muitas vezes levando a um quadro semelhante à sepse. Os pesquisadores da UFDPar discutem no artigo que, em estágios tardios da COVID-19, a restauração dos níveis normais de ECA2 pelo aceturato de diminazeno poderia ter vários efeitos benéficos a pacientes, como aumentar substância surfactante que confere funcionamento aos alvéolos pulmonares, e diminuir a inflamação pulmonar, melhorando a capacidade respiratória, além de diminuir os efeitos do vírus em outros órgãos. Segundo os pesquisadores, este editorial abre novas perspectivas de discussão para o controle da pandemia, pois até o momento ainda não há terapia que seja tão assertiva a ponto de mitigar o quadro clínico mais agravado de pacientes com COVID-19 que necessitam de suporte médico de ventilação mecânica para combater a infecção por SARS-CoV-2. Abaixo está o esquema hipotético apresentado pelos pesquisadores.
Esquema hipotético. (A) A infecção por SARS-CoV-2 é caracterizada pelo colapso dos alvéolos pulmonares e diminuição da camada de substância surfactante, seguido pela liberação de mediadores inflamatórios e culminando com a famigerada “tempestade de citocinas”. Efeitos estes devido à diminuição da ECA2; enquanto (B) o aceturato de diminazeno, um ativador específico de ECA2, poderia melhorar a resposta clínica do paciente devido a seus efeitos antinflamatórios e protetores pela redução de citocinas pró-inflamatórias e aumento de substância surfactante. Efeitos causados por um aumento da expressão de ECA2 nos estágios avançados da COVID-19.


Fonte: UFDPar | Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

---------------------------------
-------------------------------