quinta-feira, dezembro 21, 2017

Geca promove animada confraternização de final de ano

Grupo de Expressão Corporal e Autoestima (Geca) promove animada confraternização de final de ano.
O clima do Grupo de Expressão Corporal e Autoestima (GECA) estava bastante animado, na noite da última  terça-feira (20). Isso devido a festa de confraternização de final de ano do grupo e também pelo aniversário de seis anos do grupo, que reuniu cerca de 70 idosos. O evento contou com o apoio da Secretária  Municipal de Saúde e dos profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF). 

A comemoração foi marcada por muita integração e agradecimento. A coordenadora do NASF, Francisca Oliveira, agradeceu pelo lindo trabalho que vem sendo desenvolvido. “É tempo de comemorar e agradecer a Deus! Tenho observado os trabalhos dos setores ligados à saúde e tenho visto um grande empenho de todos”, disse a coordenadora. 


Durante a festa foram servidos salgados, creme de galinha e refrigerantes. Foi realizado sorteio de brindes, muita dança e como uma boa festa, também não faltou brincadeira e animação. Uma verdadeira demonstração de alegria e disposição dos participantes.

A aposentada, Helena Candeira, 73 anos, conta que participa do grupo há seis anos, frequentando as aulas de dança. “O conviver é maravilhoso. Tivemos muitos momentos felizes juntos, muita dança e brincadeiras, parceria que ficará para sempre marcada em nossos corações”.
O objetivo do  GECA é desenvolver atividade física por meio da dança, que é muito eficiente, além de muito prazerosa, trabalhando assim, a autoestima dos idosos. 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a dança surge como um forte estímulo físico e emocional. Com vários  benefícios, como: ganho de agilidade e coordenação motora, melhora na atividade cardiorrespiratória, estímulo à concentração e à memória, melhoria no equilíbrio, ajuda ainda no combate à depressão e melhora a autoestima.

Segundo a professora Adriana Barros, a dança, como atividade física, traz vários benefícios físicos, melhorando assim, a condição muscular. “Melhora o equilíbrio e a condição articular. E, além disso, a dança tem um efeito terapêutico. Porque promove a socialização e melhora a concentração e autoestima”, conta a professora.
“O movimento dos alunos em torno da dança tem me impressionado, visto que outros trabalhos desenvolvidos por mim, nunca atingiram tamanho interesse dos participantes por tão longo tempo”, relatou a educadora Francinara Mesquita.


Em seguida, foi servido um farto jantar, com cardápio variado.




Jornal da Parnaíba
Postar um comentário