segunda-feira, fevereiro 08, 2021

Crea flagra desmatamento igual a 10 campos de futebol no litoral do PI

Durante Fiscalização Ostensiva, Roteirizada e Setorizada, Almejada (Forsa), nos municípios abrangidos pela Inspetoria de Parnaíba, composta municípios cidades de Parnaíba, Ilha Grande, Luís Correia e Cajueiro da Praia, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) do Piauí, flagrou, na sexta-feira (5), crime ambiental de grande amplitude, um desmatamento de mangue, no povoado Bico do Gavião, no município de Cajueiro da Praia, no litoral piauiense.
Fiscalização do Crea flagra desmatamento no litoral (Foto: Crea-PI)
Os integrantes da Forsa do Crea-PI avaliaram que o desmatamento do mangue, área protegida por ser da Área de Preservação Ambiental (APA,) do Delta do Parnaíba, equivale a uma área maior que dez campos de futebol .

O Crea-PI, presidido pelo engenheiro Ulisses Filho, denunciou o crime ambiental para investigação dos responsáveis do desmatamento no Bico do Gavião, para a Polícia Federal (PF) e Ministério Público Federal no Piauí.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (Crea-PI), entre os dias 01 a 05 de fevereiro, realizará a FORSA (Fiscalização Ostensiva, Roteirizada e Setorizada, Almejada) nos municípios abrangidos pela Inspetoria de Parnaíba, composta pelas cidades de Parnaíba, Ilha Grande, Luís Correia e Cajueiro da Praia.

O objetivo da fiscalização do Crea-PI foi verificar se as obras e serviços de Engenharia, Agronomia e as Geociências estão sendo conduzidos por profissionais e empresas, legalmente habilitados, como, também, orientá-las quanto as outras exigências legais.

A ação, iniciada na segunda-feira (1°) e encerrada na sexta-feira, teve como foco, no município de Parnaíba, a construção civil, que será setorizada em bairros e mapeados os maiores condomínios edilícios. Na cidade de Ilha Grande, a prioridade foi as obras portuárias.

Em Luís Correia e Cajueiro da Praia, a fiscalização teve como ponto central edificações de veraneio e hotelaria.

“Essa é uma ação mais ostensiva do Crea-PI, no litoral piauiense. Esperamos aumentar a quantidade de obras legalizadas, a fim de proporcionar segurança para a sociedade, evitando que leigos atuem nas atividades abrangidas pelo Sistema Confea/Crea e Mútua”, afirmou o presidente do Crea-PI, Ulisses Filho.

O segundo dia da força-tarefa de fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí no litoral piauiense, iniciou-se com a visita do presidente Ulisses Filho, os inspetores de Parnaíba, o engenheiro civil Thiago Rodrigues e o engenheiro agrônomo Fabiano Almeida, e a equipe de Fiscalização do Crea-PI, à Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi), onde foram apresentadas as instalações e as rotinas de fiscalização, em campo.

Posteriormente, as duas equipes de agentes fiscais, do Crea-PI e da Adapi, seguiram para o Distrito Irrigado dos Tabuleiros Litorâneos do Piauí e foram recebidos pelos responsáveis pela Administração Geral, que apresentaram o projeto do Tabuleiro Irrigado.

Segundo Ulisses Filho, a ação conjunta entre este Conselho Regional e a Adapi demonstra uma importante iniciativa dessa parceria.

“A Adapi é uma instituição parceira do Crea-PI, fiscalizamos os Tabuleiros Litorâneos, que possui muitos produtores. A ação consiste em verificar a presença e o acompanhamento do engenheiro agrônomo e, também, averiguar o uso dos agrotóxicos”, afirmou o presidente do Crea-PI, Ulisses Filho.

Enquanto uma equipe se encontrava no Ditalpi, outra estava no município de Ilha Grande, aonde ocorreu a fiscalização na zona urbana e no Porto dos Tatus.

Ao final do dia, houve a visita à Capitania dos Portos do Piauí, da Marinha do Brasil, a qual se dispôs a auxiliar na força-tarefa, com equipamentos e embarcações, para fiscalização da região litorânea.

“O sentimento foi de entusiasmo dos envolvidos e isso se refletiu na satisfação de que o dever está sendo cumprido pelos bons profissionais”, afirmou o chefe de Fiscalização do Crea-PI, engenheiro civil Pedro Vaz.

Meio Norte l Edição: Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

---------------------------------
-------------------------------