terça-feira, junho 02, 2020

ASERPA cobra da Agespisa e Equatorial flexibilização na cobrança de faturas não pagas no período da Pandemia

A Aserpa entende que consumidores com faturas vencidas e não paga no período da pandemia tenham uma negociação privilegiada e sem corte do fornecimento.
Diretor-Presidente da ASERPA, o advogado Lisandro Ayres
Por determinação do Prefeito Mão Santa, a Agência Parnaibana de Serviços Públicos-ASERPA, notificou na data de 01 de junho de 2020(segunda-feira) as concessionárias de serviços públicos, Agespisa e Equatorial, para que informem quais serão as posturas adotadas pelas mesmas, em relação à cobrança das faturas de água e energia que não foram pagas por usuários no período da pandemia do Coronavírus, em decorrência das dificuldades financeiras enfrentadas pelos usuários.

Segundo o Diretor-Presidente da ASERPA, o advogado Lisandro Ayres, a preocupação da autarquia municipal, com a situação dos usuários dos serviços de água e energia, se dá porque muitos usuários não vêm, durante essa pandemia, conseguindo pagar suas faturas de água e luz, em especial os que trabalham no mercado informal que estão sendo muito prejudicados, bem como outros trabalhadores, em razão dos desempregos ocasionados pelo fechamento total do comércio de Parnaíba, decorrentes do decreto do governo do Estado do Piauí.
Com essas notificações a ASERPA, busca obter essas informações para o fim de cobrar da concessionária Agespisa e Equatorial que não realizem o corte no fornecimento de água e energia, tendo como motivo fatura não paga no período da pandemia do COVID 19.

Por fim ressalta o Diretor da ASERPA que essa antecipação do poder público municipal visa evitar uma enxurrada de cortes de água e luz no município de Parnaíba, serviços esses que são essenciais, isso sem que seja dada a oportunidade dos usuários/consumidores terem uma negociação mais privilegiada dessas faturas que, não por culpa dos usuários, deixaram de ser pagas no período da pandemia, período este em que as próprias concessionárias suspenderam os cortes no fornecimento por falta de pagamento.

Da redação do Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

---------------------------------
-------------------------------