quinta-feira, dezembro 12, 2019

Em entrevista, Mirócles Veras fala sobre liberação de cirurgias cardíacas pelo SUS em Parnaíba

Mirócles Veras e Luzia Paula durante entrevista ao programa "Ao Vivo com Luzia Paula" na redação do Jornal da Parnaíba
O ex-secretário estadual de Saúde e atual diretor do Hospital e Maternidade Marques Basto, Mirócles Veras, foi o entrevistado desta quinta-feira (12), do programa ”Ao vivo com Luzia Paula” na redação do Jornal da Parnaíba, quando o administrador falou sobre a realização de cirurgias cardíacas que passarão a ser feitas em Parnaíba pelo Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de fevereiro do próximo ano. A área de oncologia, bem como o futuro tratamento contra o câncer no litoral por meio de radioterapia, também foi tratado pelo diretor do Hospital Maternidade Marques Basto.

Assista a entrevista completa  AQUI

Mirócles Veras, diretor do Hospital
Maternidade Marques Basto
Luzia Paula: Essa semana saiu a Portaria do Ministério da Saúde que credencia o Hospital e Maternidade Marques Basto a realizar cirurgias cardíacas pelo SUS. O que isso de fato significa para a região?
Mirócles Veras: O Hospital e Maternidade Marques Basto tem sido pioneiro na região em ações de saúde, principalmente voltado aos SUS e aos pacientes mais carentes. Nosso hospital é privado, mas tem a missão de oferecer saúde de qualidade também aos pacientes do SUS e essa é uma missão deixada pelo meu avô Mirocles e pelo meu pai Edgar Veras. A efetivação da portaria foi trilhada com muita luta, mas já em janeiro faremos o contrato com a Prefeitura para de imediato iniciarmos as cirurgias. Serão em média de 13 a 15 cirurgias abertas por mês, além de exames como cateterismo e angioplastia, por exemplo. Ou seja, toda a área de cardiologia será ampliada para os pacientes do SUS. Isso significa salvar vidas!

LP: Especifique os tipos de cirurgias que serão feitas ...
Mirócles: A portaria do Ministério da Saúde não traz esses detalhes. No entanto, amanhã viajarei para Teresina, a fim de verificar todas essas informações com a Secretaria Estadual de Saúde e com a equipe do escritório do Ministério da Saúde alocada na capital. O que sabemos é que serão cirurgias abertas e não os procedimentos de cateterismo e angioplastia. A cirurgia aberta se dá quando a pessoa já passou pelo procedimento de cateterismo, de angioplastia e não conseguiu fazer a operação através do aparelho hemodinâmico. Neste caso, o médico cirurgião precisa abrir o tórax do paciente e realizar a troca ou desentupimento de veia.

LP: E para os pacientes cardíacos do SUS terem acesso ao atendimento, qual o procedimento?
Mirócles: A pessoa deve procurar seu posto de saúde a fim de passar pelo médico que o encaminhará para o hospital para ser avaliado o quadro clínico da pessoa. Em relação aos que já estão na fila, a prioridade é feita pelas Prefeituras. Naturalmente também existe a fila de urgência e emergência do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda).

LP: Com essa oferta, deverão ser criados novos empregos no Hospital?
Mirócles: Na área de cardiologia o serviço já existe no hospital. Já temos o centro cirúrgico todo preparado. O nosso investimento foi em equipamentos e treinamento de nossas equipes. Agora devemos fechar um convênio com a Unimed que oferecerá o serviço de pronto atendimento. Então, para os conveniados da Unimed de Parnaíba, passarão a ser ofertados serviços de 24 horas, com médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e recepcionistas 4 de plantão, quando devem ser ofertados novas vagas de emprego.

Nota: Neste ano o Hospital e Maternidade Marques Basto completa 80 anos de atividades em Parnaíba, destacando-se também no tratamento e prevenção ao câncer. No próximo ano, inclusive, o hospital passará a ofertar o tratamento de radioterapia para pacientes oncológicos. 

Luzia Paula | Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

---------------------------------
-------------------------------