terça-feira, maio 08, 2018

Servidora do INSS de Parnaíba é presa na “Operação Biditos” da PF

Empresário e vereador de Piripiri também foram presos em ação da PF por fraude no INSS. A operação contou com o apoio do 2º Batalhão da Polícia Militar Major Osmar, sediada em Parnaíba (PI).
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (08/05) a “Operação Biditos” com o fim de desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes e benefícios assistenciais do INSS concedidos a idosos e deficientes. A investigação iniciou-se há aproximadamente oito meses e contou com o apoio da Gerência Executiva do INSS no Piauí.

Estão sendo cumpridos na Operação 10 Mandados de Prisão Preventiva, 09 Mandados de Prisão Temporária e 29 Mandados de Busca e apreensão nos municípios de Piripiri, Parnaíba, Brasileira, Cocal, Barras, Tianguá/CE, Tutóia/MA, e Paraíso do Tocantins/TO,  todos expedidos pela 3ª vara da Justiça Federal em Teresina/PI, cuja deflagração contou com mobilização de 145 Policiais Federais dos Estado do Piauí, Ceará, Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba e Tocantins.
Com membros da quadrilha, PF do Piauí apreendeu dezenas de cartões (Foto: Kairo Amaral/TV Clube)
A deflagração contou ainda com o apoio do 2º Batalhão da Polícia Militar Major Osmar, sediada em Parnaíba (PI).

Dentre os presos há uma servidora do INSS EM Parnaíba (PI), um vereador, um empresário e um funcionário público municipal, todos de Piripiri (PI).
Policiais Federais apreenderam armas de fogo e munições (Foto: Kairo Amaral/TV Clube)
Identificou-se na investigação que a organização criminosa recebia mensalmente cerca de 320 benefícios assistenciais fraudulentos e adotava como modo de agir a criação de pessoas físicas por meio da falsificação de documentos públicos (tais como certidões de nascimento, carteiras de identidade e CPFs, dentre outros), que eram utilizados para a obtenção dos benefícios em diversas agências do INSS do Piauí e Ceará.

Esses benefícios com indícios de fraude causaram um prejuízo efetivo ao INSS no montante de R$ 27.669.885,27. A Justiça Federal já determinou a suspensão de tais benefícios, medida que evitará um prejuízo mensal do INSS de R$ 305.280,00 e um prejuízo futuro estimado em 19 milhões de reais.
Com o apoio dos policiais militares do 2º BPM, de Parnaíba, foram presas oito pessoas, sendo uma mulher e sete homens no povoado Barro Duro, no município de Tutóia-MA. Além disso, foram apreendidas sete armas (três pistolas e quatro revólveres), carregadores e munições, quatro veículos (01 Hillux, 01 corolla, 02 Toros). 

Os investigados deverão responder pelos crimes de associação criminosa (artigo 288 do CPB), estelionato qualificado (artigo 171, § 3º, do CPB). Falsidade ideológica (artigo 299 do CPB) e uso de Documento falso (artigo 304 do CPB).

A Justiça Federal também determinou o bloqueio de contas bancárias dos presos e a suspensão do exercício da função pública para a servidora do INSS de Parnaíba e para o servidor da prefeitura de Piripiri.

Após a lavratura dos procedimentos legais na Superintendência da Polícia Federal os presos serão encaminhados ao Sistema Prisional, onde ficarão custodiados à disposição da Justiça.

O nome da Operação “BIDITOS” decorre da expressão utilizada por alguns dos membros da quadrilha, se se dizem ciganos, para se referirem aos cartões de benefícios do INSS em seu dialeto.
A Polícia Federal de Parnaíba fez a abordagem ao grupo de ciganos que estava acampado no município de Tutóia.


Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário