sábado, abril 07, 2018

Elmano Ferrer muda de partido para ser candidato ao Governo do Estado

Elmano se filia ao Podemos e se lança pré-candidato ao governo do estado. O senador tem como principal entusiasta o empresário João Vicente Claudino.
O senador Elmano Ferrer muda mais uma vez de partido e filia-se ao Podemos (Foto: Moura Alves/O Dia)
O senador Elmano Ferrer mudou mais uma vez de partido e filiou-se neste sábado (7) ao Podemos para poder ser candidato ao governo do estado, já que o MDB vai continuar na base do governo. O ato de filiação aconteceu na sede do Diretório Estadual, na Avenida Dom Severino, na zona Leste de Teresina, às 9h. A filiação de Elmano ao Podemos tem como principal entusiasta o empresário João Vicente Claudino (PTB) e torna o senador pré-candidato ao Governo do Estado. João Vicente Claudino reafirmou o desejo de não votar em Wellington Dias (PT).
Filiação do Senador Elmano Ferrer ao Podemos ocorreu na manhã deste sábado.
Elmano Ferrer foi eleito senador em 2014, com 981.219 votos, pelo PTB. No entanto, ano passado, ele mudou de partido para ingressar na sigla do presidente Michel Temer (MDB) afirmando que na nova sigla teria mais condições de viabilizar recursos para o Piauí. Ele informou ontem (6) aos líderes nacionais e regionais do MDB sobre a saída da sigla.

“É uma grande opção. Tenho uma grande admiração pelo senador Álvaro Dias, tanto ele quanto o partido possui princípios éticos, morais, é um projeto nacional e estávamos refletindo sobre isso”, disse o senador piauiense, acrescentando que João Vicente Claudino é o principal entusiasta da mudança e os dois estarão juntos em qualquer cenário nas eleições deste ano.

Apesar de ter sido eleito em 2014 na mesma chapa do governador Wellington Dias, Elmano nunca participou efetivamente da base aliada do governador piauiense. Ferrer não possui indicações na estrutura do Governo e sempre se manteve independente em relação ao executivo. No impeachment da presidente Dilma, o senador teve vários atritos com a militância petista, votando favorável a Dilma após intensa pressão de manifestantes.

Por: Ithyara Borges e João Magalhães/Jornal O Dia | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário