terça-feira, fevereiro 27, 2018

Após morte de 'gêmeo do crime', comparsas ameaçam guerra com a Polícia


Em mensagem enviada pelo Whatsapp, comparsa ameaça retaliação pela morte de Alex, morto após reagir a uma abordagem policial.
Uma mensagem supostamente enviada por comparsas dos gêmeos Alex e Alan dos Santos Nunes, vulgo "Gêmeos do crime", ameaça policiais de retaliação pela morte de um dos irmãos. Foragido da Penitenciária Irmão Guido desde fevereiro de 2017, Alex morreu na UTI do Hospital Dirceu Arcoverde em Parnaíba na noite de ontem (26), após ter sido baleado na troca de tiros com a Polícia durante uma abordagem policial na última sexta-feira (23).

Na mensagem enviada pelo aplicativo Whatsapp, o suposto comparsa alerta que "pode preparar os policiais, porque vocês vão ter guerra". Na abordagem em que o gêmeo foi baleado, outro comparsa identificado como Ricardo Pereira de Sousa, vulgo "Pertubinha", também foi atingido e morreu ainda no local, após reagir ao cumprimento do mandado de prisão.

Após morte de 'gêmeo do crime', comparsas ameaçam guerra com a Polícia. (Foto: Reprodução)
De acordo com a Polícia Civil, Alex 'Gêmeo' era suspeito de vários homicídios na cidade de Parnaíba e Luís Correia, bem como envolvimento em tráfico de drogas e vários outros delitos. Durante a operação foram encontrados em posse dos acusados dois revólveres calibre 38, várias munições e maconha.
O irmão gêmeo do foragido, identificado como Alan, está preso na Casa de Detenção Provisória de Altos. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Estado do Piauí (Sinpoljuspi), uma investigação será conduzida para averiguar se o gêmeo teve acesso a aparelhos telefônicos dentro do presídio. "Até o momento não há indícios de que haja celular lá dentro, porque é regime fechado. Mas vamos averiguar para saber se houve violação da segurança do presídio e também se a mensagem foi trote ou não", informou Kleiton Holanda, vice-presidente do Sinpoljuspi.

A reportagem do ODIA entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP/PI) para esclarecer quais procedimentos serão adotados pelo órgão em relação à ameaça feita aos policiais envolvidos na ocorrência. No entanto, o órgão disse que não irá se pronunciar sobre o caso. Já o titular da Delegacia de Homicídios, Tráfico de Drogas e Latrocínio de Parnaíba (DHTL), o delegado Eduardo Aquino, informou que a Polícia está investigando o caso e que o suspeito de ter ameaçado os policiais deverá ser identificado nos próximos dias.

Por: Nathalia Amaral | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário