sexta-feira, outubro 30, 2020

Continua a execução das obras da Praça Temática de Parnaíba

Nesta semana teve início a construção do portal da Praça Temática feito em pedras cabeça de jacaré.

A Praça Temática parnaibana é inspirada na “Tierra Santa”, de Buenos Aires, na Argentina e terá 52 esculturas confeccionadas pelo o artista plástico Charles Santeiro.

As obras estão sendo acompanhadas pelo engenheiro Lindon Sérgio e a arquiteta Emilly Falcão, ambos da Secretaria de Infraestrutura – Seinfra - que verificam “in loco” todo o trabalho desenvolvido pelos homens que ali trabalham. 

A Praça Temática, além da visitação diária, terá como finalidade a realização de eventos religiosos, tais como a encenação da Via Sacra que é realizada anualmente durante a Semana Santa.

Ao todo serão colocadas 52 obras de arte que contarão a história da vida e morte de Jesus Cristo. A Praça Temática está sendo construída ao lado da Igreja São Sebastião, na Avenida Armando Cajubá. Algumas estátuas já estão no lugar e uma parte do piso já foi colocado.

O turismo religioso é responsável por um faturamento anual superior a 20 bilhões de reais que geram empregos e fomentam a economia brasileira.

Por: José Wilson / Jornal da Parnaíba

3 comentários:

Unknown disse...

Aquelas ligo de pedra no calçamento da praça vai ficar bem pra que for descalço carregando uma pedra na cabeça era bom o prefeito fazer um teste pra ver se dou

Unknown disse...

Não se preocupe com este mísero detalhe,atenha-se,na grandiosidade,da obra,e sua valiosisma contribuição,para eventos,ao qual o projeto se propõe. Incrível como o amigo não se atentou para a grandiosidade da obra em si. Atentou-densamente a um detalhe, para fazer uma crítica irrelevante. Pela grandiosidade da obra,o amigo olhou só para algo detalhes,porque não elogiar a obra,como uma toda. Ah......,já sei: são os chamados "críticos caolho".

Unknown disse...

A primeira impressão é de que pode ser algo interessante, se bem executado. Por acaso esse local fica a cerca de 300 metros da casa onde nasci e vivi. O ambiente tem perfil com religiosidade face a vizinhança da igreja de S. Sebastião e do convento franciscano, hoje desativado. Alguns anos atrás quis sugerir a um padreco de Morros da Mariana a discussão de um projeto de estrutura voltado à romaria-hotelaria e a resposta foi o silêncio sepulcral, ao que parece ele não entendeu a proposta ou teve algum receio.