quinta-feira, janeiro 03, 2019

Homem é executado a bala em Parnaíba

1º homicídio do ano em Parnaíba: Ex-presidiário é morto com três disparos dentro de seu próprio veículo no Bairro São Vicente de Paula, em Parnaíba, no litoral piauiense. 
Vítima havia saído a pouco tempo da Penitenciária, ele já havia sido preso várias vezes por tráfico de drogas.
O ex-presidiário Clécio Greick do Nascimento Carvalho, bastante conhecido pelo apelido de “Índio”, de 41 anos, foi executado por volta das 19hs desta quarta-feira (02), com três disparos de arma de fogo. Dois deles na cabeça. 

O crime ocorreu na porta da residência de uma filha da vítima, localizada numa rua de areia do Loteamento Rosa dos Ventos do Bairro São Vicente de Paula, próximo ao conjunto Joaz Souza em Parnaíba.
Índio estava em liberdade monitorado por uma tornozeleira eletrônica
Índio não teve como se defender dos disparos. O atirador andava na garupa de uma moto Titan vermelha de placa não anotada. Segundo moradores foram realizados quatro disparos.

Duas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram ao local na tentativa de socorrer a vítima, que não resistiu aos ferimentos e teve morte ainda no local da cena do crime.

Matérias relacionadas:


Segundo informações do Tenente da Polícia Militar, Madislan, “Índio” estava conduzindo um veículo GM/Celta, de cor branca, na companhia da esposa, quando de repente passou a ser seguido por dois homens em uma moto de cor vermelha. Ao chegar à casa da filha, Clécio Carvalho foi abordado e alvejado com três tiros no rosto, do lado direito, e morreu ainda dentro do carro ao lado da esposa que ainda foi jurada de morte.
Tanto a Polícia Militar como uma equipe do Departamento de Polícia Técnica Científica de Parnaíba estiveram no local. O corpo foi removido pelo IML. “Índio” foi preso no dia 29 de agosto de 2011 no Bairro Nova Parnaíba, acusado de tráfico de drogas. Posteriormente foi novamente preso pelo mesmo crime no dia 31 de outubro de 2016. “Índio” havia saído da Penitenciária de Parnaíba há pouco mais de cinco meses e era monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

O crime será investigado pela Policia Civil, que tem com titular o delegado Eduardo Aquino, da Delegacia de Homicídios/Tráfico de Drogas/Latrocínio (DHTL) de Parnaíba, mas até o momento ainda não há pistas dos executores.

Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário