quinta-feira, outubro 18, 2018

Falso médico preso em Parnaíba é condenado a 22 anos de reclusão

Faleiro foi preso em flagrante, no dia 22 de junho deste ano, após prestar um atendimento médico em Parnaíba. A sentença foi dada na última segunda-feira (15).
Juíza de direito Dra. Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parnaíba
A juíza de direito Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Parnaíba, condenou o jornalista Carlos Roberto Faleiro da Silva a mais de 22 anos, 5 meses e 3 dias de prisão, em regime fechado, pelos crimes de estelionato, exercício ilegal da medicina e falsificação de documento público. A sentença foi dada na última segunda-feira (15).

Faleiro foi preso em flagrante pela Polícia Federal, no dia 22 de junho deste ano, após prestar um atendimento médico em Parnaíba. Ele ainda se passava por tenente reformado da Polícia Militar do Maranhão, médico e massoterapeuta.
Carlos Roberto Faleiro da Silva, condenado a 22 anos de prisão.
Carlos Roberto Faleiro da Silva Ele confessou que há dois meses trabalhava como radialista e que também prestava serviços de massoterapia em residências. A Polícia Federal descobriu que o acusado possui diversas passagens pela polícia pelos crimes de estelionato, uso de documento falso e assalto a mão armada.

A magistrada determinou que a pena deverá ser cumprida na Penitenciaria de São Raimundo Nonato por ser de segurança máxima considerando a periculosidade do acusado.

Outra condenação
Carlos Roberto Faleiro da Silva foi condenado a 19 anos e oito meses de prisão por assalto a Caixa Econômica Federal praticado no estado de Mato Grosso. Além do assalto, a ficha criminal do falso médico tem pelo menos 15 crimes de estelionato cometidos no Rio Grande do Sul. Ele também tem passagem pela polícia por apropriação indébita, cometido em Tocantins.

Por Wanessa Gommes/GP1 | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário