segunda-feira, agosto 13, 2018

Parnaibana que venceu Miss Brasil Mundo 2018 diz que já passou fome e teve preparação forte

Piauiense de Parnaíba que venceu Miss Brasil Mundo 2018 diz que já passou fome e teve preparação forte
Primeira piauiense a conquistar o título de Miss Brasil Mundo, a estudante Jéssica Carvalho, 22, tem uma história de superação. Coroada no início da madrugada deste domingo (12) em Angra dos Reis (RJ), a jovem contou ao F5 que já passou fome e superou muitas dificuldades, mas deu a volta por cima.

"Sou bolsista integral do curso de medicina de uma universidade particular em Teresina, o que é a realização de um sonho, pois sou a primeira da minha família a alcançar isso. Nenhum dos meus parentes tem curso superior. Morava longe e, como não sei dirigir e nem tenho carro, acordava cedo e pegava dois ônibus todos os dias para poder estudar. Já passei fome, sem ter o que comer. Hoje superei tudo isso e estou aqui", disse logo após a cerimônia.

Nascida no município de Parnaíba, a cerca de 330 km de Teresina, a bela deixou para trás 47 concorrentes na final do Miss Brasil Mundo 2018, mas diz que não esperava a vitória. "Embora a gente sempre queira ganhar, foi uma surpresa. Assim que meu nome foi anunciado, tive uma das melhores sensações da minha vida e estou ainda tão extasiada que nem consegui chorar", afirmou.
"Todas que competiram comigo são lindas, engajadas e preparadas. Acredito que minha história de vida me tornou uma mulher determinada, de coragem e garra para seguir meus sonhos e objetivos. Esse foi meu diferencial". 

Uma inspiração para Carvalho foi a israelense Linor Abargil, vencedora do Miss Mundo 1998 que foi violentada sexualmente poucas semanas antes de embarcar para o concurso. "Mesmo assim, ela não deixou que isso a definisse ou a abatesse, representou seu país e venceu. Em seguida, iniciou uma campanha contra o abuso sexual de mulheres. É uma miss que me representa!".

Carvalho foi coroada pela fluminense Gabrielle Vilela, 26, sua antecessora. Em segundo lugar ficou a Miss Amazonas, Jainy Lemos, 22, e em terceiro a Miss Espírito Santo, Marina Ramada, 22. O concurso garante vaga para representar o país no Miss Mundo 2018, que será em dezembro, na cidade chinesa de Sanya.

60 ANOS DE JEJUM
Com a vitória do Piauí, o resultado da etapa brasileira destoa das faixas geralmente consagradas. Nos últimos vinte anos, os títulos ficaram principalmente em um "bate bola" entre alguns estados: Rio de Janeiro (1999, 2012 e 2017), Rio Grande do Sul (2011, 2013 e 2014), Santa Catarina (1998, 2002, 2007), São Paulo (2001, 2015) e Goiás (2006 e 2016). As participações especiais nesse período ficaram com Minas Gerais (2008), Roraima (2009), Pará (2010) e, agora, o Piauí.

"É uma realização muito grande levar esse título para o meu estado. A mulher piauiense não é apenas bonita, mas também guerreira, pois enfrenta muitas lutas por conta da pobreza que temos lá", diz a miss.

"Trabalhei muito pelo título e acredito que, mesmo com boas candidatas no passado, só faltava uma preparação mais forte como a que tive. Uma equipe me auxiliou, e entre outras, tive aulas de oratória e passarela, além do apoio de nutricionista, psicólogo e outros profissionais", revelou.

Em 2017, a também piauiense Monalysa Alcântara venceu o Miss Brasil Be Emotion. Ela teve a grande primeira conquista nacional para o Piauí e representou o país no Miss Universo daquele ano. Porém, para o Miss Mundo, será a primeira vez.

Carvalho chegou a conhecer a conterrânea quando disputou com ela o Miss Piauí Be Emotion 2017. "Perdi para a Monalysa com louvor, já que ela venceu o Miss Brasil Universo. Eu e ela temos uma história muito parecida, pois somos ambas de origem humilde e guerreiras".

PREMIAÇÃO
Além da faixa e preparação, a miss leva para casa uma coroa exclusiva criada pelo estilista mineiro Tiago Seixas. A joia conta com pedras nas cores da bandeira nacional, uma pedra lilás pela luta contra a hanseníase e a flor-de-lis representando a realeza.

Um relógio, uma joia em ouro e esmeralda e uma viagem para Los Angeles com participação em um desfile completam os prêmios. 

O show foi transmitido ao vivo pela Rede Brasil e no canal do Concurso Nacional de Beleza no YouTube. Uma das anfitriãs foi a apresentadora esportiva Livia Nepomuceno, que disputou o título em 2009, e a ex-BBB Jéssica Mueller estava entre os jurados da noite.

O evento celebrou 60 anos e, para tal, a organização recebeu algumas vencedoras anteriores, como a médica carioca Lúcia Petterle, 69, dona da faixa de Miss Mundo 1971 e única brasileira a vencer o certame internacional.

Fábio Luís de Paula/Folha Pres | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário