sexta-feira, agosto 10, 2018

Operação "Alvorada na Barra" prende donos de pousadas por furto de energia em Barra Grande

Empresários são presos por furto de energia em pousadas e condomínio no litoral do Piauí; foi preso um dono de uma das pousadas mais tradicionais em Barra Grande.
No local a polícia encontrou cabos que desviavam energia antes do medidor. No local havia muitos aparelhos de ar-condicionado e a conta era em média R$ 500.
Operação do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) prende empresários do ramo de hotelaria suspeitos de furto de energia em pousadas e em um condomínio de luxo no litoral do Piauí. A operação "Alvorada na Barra" teve início ontem (09) quando cinco empresários foram conduzidos e dois presos em Parnaíba e em Luís Correia. Na manhã desta sexta-feira (10), o dono de uma das pousadas mais tradicionais em Barra Grande também foi preso.

Matéria relacionada: Dono de construtora e funcionário da CEF é preso furtando energia em Parnaíba

"Estamos fiscalizando várias pousadas. Em um dos alvos em Barra Grande, encontramos uma derivação antes do ramal, ou seja, havia um cabo que foi colocado para furtar energia. Ele foi preso e será autuado na delegacia de Luís Correia. Estamos avaliando o valor da fiança", disse o delegado Laércio Evangelista, que comanda a operação. 
A operação 'Alvorada na Barra' flagrou o furto de energia na pousada Kalango, uma das mais tradicionais em Barra Grande e seu proprietário, que não teve a identidade revelada, foi preso.
De acordo com o Greco, a pousada é uma das mais tradicionais na cidade. No local há mais de dez aparelhos de ar-condicionado, mas o consumo médio de energia seria em torno de R$ 500. O suposto "gato de energia" teria sido feito há pelo menos um ano, de acordo com a Polícia Civil. 

A operação "Alvorada na Barra" está em andamento em cidades do litoral piauiense.
Delegado Laércio Evangelista prendeu duas pessoas durante operação (Foto: Catarina Costa/G1)
Na quinta-feira (9), um funcionário da Caixa Econômica Federal, que também trabalha como construtor, foi preso na cidade de Parnaíba, em uma obra na qual um desvio era utilizado para fornecer energia sem a medição da Eletrobras.

Graciane Sousa/Cidade Verde | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário