terça-feira, agosto 14, 2018

Matilha dos cães que ladram, mas não mordem

Quando se vota nulo estamos anulando a nós e não aos políticos.
Todos nós temos o direito de fazer nossas escolhas, inclusive de votar nulo, mas quando votamos nulo estamos abdicando do direito de escolher nossos representantes e entregando a responsabilidade para os outros. Na verdade estamos fugindo do nosso dever cívico previsto na constituição e na democracia.

Obviamente que quando uma grande parte da população, desiludida com os políticos passa a votar nulo ou branco está entregando o poder nas mãos dos mais corrutos ainda, aqueles que têm dinheiro para comprar votos, fazer propaganda em outdoor e grandes cartazes, panfletos caros e bem elaborados, bancar uma boa empresa de marketing, comprar cabos eleitorais e lideranças políticas, etc.

Quando votamos nulo, não anulamos a eleição, nosso voto sequer serve para alguma coisa, pois somente os votos válidos contam para efeito da eleição. O voto nulo ou branco é contado em separado apenas para valor estatístico. Em resumo, seu voto vai para o lixo como um papel amassado e jogado no cesto. 

Como posso exigir do político alguma coisa se eu não fiz parte do processo de escolha? Como posso defender a democracia se não fiz minha parte da escolha livre e democrática dos eleitos? A gente se decepciona até com amigos, com parentes, imaginem com políticos? Nem por isso devemos deixar de escolhê-los, mesmo que venha a nos decepcionar no futuro. E quando isso acontecer, ai sim, eu terei o direito de exigir.

Ora, quando anulamos nosso voto, nós que nos indignamos com as mazelas dos políticos, estamos fazendo exatamente o que eles querem, deixando eles a vontade para fazer de nós os otários, pois já nos anularam, já sabem que não somos nada, pois nossa indignação não vai pra dentro da urna. Eles já sabem que somos da matilha dos cães que ladram, mas não mordem.

Por José Wilson | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário