sexta-feira, agosto 10, 2018

Justiça nega pedido de liberdade a coordenadora da Seduc-PI

A decisão foi dada pelo juiz Agliberto Gomes Machado, da 3ª Vara Federal do Piauí, às 07h57 do dia 7 de agosto.

Prédio da Seduc | Foto: Lucas Dias/ GP1

O juiz Agliberto Gomes Machado, da 3ª Vara Federal do Piauí, indeferiu pedido de liberdade provisória com ou sem fiança, feito pela defesa da servidora Lisiane Lustosa Almendra Neiva, Coordenadora de Transporte Escolar da Secretaria de Estado da Educação, presa pela Polícia Federal na Operação Topique. A decisão foi dada às 07h57 do dia 7 de agosto.


A operação desarticulou uma organização criminosa formada por várias empresas que são acusadas de fraudarem licitações e de desviarem recursos públicos destinados à prestação de serviços de transporte escolar ao Governo do Estado e Prefeituras Municipais no Piauí e no Maranhão, custeados pelos recursos do Programa de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).

As empresas investigadas receberam, entre os anos de 2013 e 2017, em torno de R$ 297 milhões pagos por mais de 40 prefeituras municipais e pelo Governo do Piauí, envolvendo transporte escolar e locação de veículos. O valor do potencial prejuízo ao erário no período é superior a R$ 119 milhões. A operação contou com a atuação de 170 policiais federais e de 9 auditores da CGU. Foram presos 21 empresários e duas servidoras da SEDUC, Lisiane Lustosa Almendra Neiva e Elisandra Pereira Lima. Lisiane Lustosa Almendra Neiva foi nomeada coordenadora em 09 de janeiro de 2015.

Por Gil Sobreira/GP1 | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário