sábado, agosto 25, 2018

Em Parnaíba, Ministro do TCU critica descontrole de gastos e defende maior rigor na fiscalização

Ministro-substituto do TCU, Weder de Oliveira: “Não podemos ver serviços ruins como algo normal e aceitável”.
Ministro-substituto do Tribunal de Contas da União (TCU), Weder de Oliveira
O ministro-substituto do Tribunal de Contas da União (TCU), Weder de Oliveira, disse nesta sexta-feira (24), durante o I Seminário de Gestão Institucional do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) em Parnaíba, que o Brasil precisa melhorar os processos e a cultura de gestão para avançar nos índices econômicos e sociais. Defendeu também mais fiscalização e cobrança da sociedade sobre os serviços do poder público.

Para ele, o controle externo e os mecanismos de fiscalização estão sendo aperfeiçoados. “O país melhorou muito em relação há 20 anos”, observou. Porém, para o país avançar mais, disse, o brasileiro precisa mudar os “modelos mentais” e deixar de ver o serviço público ruim como algo normal e aceitável. “Nós não podemos nos acostumar com o transporte ruim, com a sala de aula quebrada e sem carteiras, com a falta de medicamentos nos hospitais públicos”, citou. “Precisamos mudar esses modelos mentais e reagir. Só assim, o país vai avançar mais”, afirmou. 
Assessora técnica da Presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), palestrou sobre a “Relevância dos Tribunais de Contas no Controle das Contratações Municipais”.
Weder de Oliveira foi um dos palestrantes do I Seminário de Gestão Institucional do TCE-PI, realizado em Parnaíba nesta sexta-feira. Ele falou sobre processos licitatórios e contratação pública, destacou a importância da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para o controle de gastos, criticou a falta de planejamento dos governos na realização de obras públicas e defendeu o equilíbrio fiscal como fundamental para recolocar o país no caminho do crescimento.
“O país não pode se dar ao luxo de gastar recursos com obras desnecessárias, que iniciam sem saber como serão concluídas. O resultado são obras paralisadas e desperdício do dinheiro público”, condenou. O I Seminário de Gestão Institucional foi realizado pelo TCE-PI, por meio da Escola de Gestão e Controle Cons. Alcides Nunes (EGC), com a finalidade de qualificar gestores e conscientizar agentes públicos e cidadãos para o controle social e a importância da gestão eficiente.

O evento foi aberto pelo presidente do TCE-PI, conselheiro Olavo Rebelo, e teve ainda palestras da professora Aurilene Vieira de Brito, da Escola Augustinho Brandão, de Cocal dos Alves, sobre o processo que levou uma escola pública de uma pequena cidade do interior do Piauí a conquistar prêmios em todo o país pela excelência na educação, e da professora Tatiana Camarão, assessora técnica da Presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG), sobre a “Relevância dos Tribunais de Contas no Controle das Contratações Municipais”.
Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário