sexta-feira, agosto 24, 2018

Como o desvio de R$ 119 milhões afetava os estudantes do Piauí

Foram presos na operação “Topique” 23 pessoas de uma organização criminosa envolvidas em desvios de recursos da Educação.
Quando tinha transporte escolar, os estudantes arriscavam as vidas transportados em pau-de-arara.
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) e a Polícia Federal deflagraram no início deste mês de agosto a operação 'Topique' com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que atuava na Secretaria de Educação do Estado responsável por fraudes em licitações e desvio de recursos públicos destinados ao transporte escolar no Piauí.

Fraude nas licitações.
A organização criminosa fraudava licitações e desviava recursos federais destinados ao transporte escolar no Estado do Piauí e em prefeituras piauienses e do Maranhão, custeados pelo Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) e pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Os desvios eram notórios. Não faltava dinheiro e o serviço de transporte escolar no Piauí era de péssima qualidade, os estudantes eram transportados e verdadeiros pau-de-arara, era até desumano, prejudicando a vida de milhares de estudantes do estado.

Empresas arrecadavam milhões.
As empresas investigadas receberam pelo menos R$ 297 milhões, pagos por 40 prefeituras e o Governo do Estado, entre os anos de 2013 e 2017. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em R$ 119 milhões.

Baixa qualidade dos serviços, quando era presado.
Transporte escolar de péssima qualidade, quando havia, pois em alguns municípios a empresa era contratada, mas não prestava o serviço, cabendo muitas das vezes ao município transportar os estudantes da rede municipal e estadual, veículos inadequados para transportar crianças, ausência do serviço, falta de pagamento, acidentes graves, greves e incontáveis dias de aulas perdidos, são os problemas que os estudantes do Piauí enfrentam diariamente por causa da corrupção.
Postar um comentário