domingo, julho 08, 2018

Ministério da Integração estuda liberar R$ 27 milhões para Tabuleiros Litorâneos

O Ministério da Integração Nacional fará reunião na próxima terça-feira (10) com diretores do DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contas as Secas), em Brasília, para avaliar a possibilidade de liberar recursos para retomar as obras do projeto Perímetros Irrigados Tabuleiros Litorâneos, em Parnaíba.
Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, durante visita a Parnaíba
A reunião é o primeiro resultado prático da visita técnica do ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, aos Tabuleiros Litorâneos, neste sábado (8). Também participarão do encontro em Brasília representantes da empresa responsável pelas obras dos Tabuleiros Litorâneos, que estão paralisadas desde 2006.

“Um empreendimento desta dimensão tem enorme potencial para beneficiar mais agricultores e criar novas oportunidades na região. Por isso, vamos nos reunir também com a empresa responsável pelas obras e com representantes do Dnocs [Departamento Nacional de Obras Contra as Secas], órgão que responde pela execução e supervisão dos serviços. Queremos assinar o quanto antes a ordem de serviço para a retomada da segunda etapa do perímetro”, afirmou o ministro.
Ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade em visita ao Tabuleiros Litorâneos.
A garantia de investimento federal para a segunda fase é de R$ 27 milhões. O objetivo é estimular ainda mais a fruticultura irrigada e ampliar o potencial de comercialização para mercados internos e externos, gerando novos empregos e renda na região. Após vistoria aos trechos ainda em obras, o ministro Pádua Andrade visitou lotes em operação e esteve numa plantação de acerola orgânica.

“Nós vamos analisar questões jurídicas para avaliar a liberação dos recursos necessários à retomada das obras”, observou ele. Os Tabuleiros Litorâneos precisam de R$ 180 milhões para conclusão das obras da primeira e segunda etapas.
Durante a visita ao local, os irrigantes solicitaram ao ministro pelo menos R$ 35 milhões para concluir as obras da primeira etapa. Antônio de Pádua veio ao Piauí a convite do deputado federal Heráclito Fortes (DEM), que tenta solucionar problemas que impedem a retomada das obras. Ele desembarcou em Parnaíba às 10h40, acompanhado de Heráclito Fortes, e foi recebido pelo prefeito Mão Santa (Solidariedade), secretários municipais e representantes dos irrigantes dos Tabuleiros.

“O ministro ficou impressionado com o potencial produtivo dos Tabuleiros Litorâneos, o que é bastante positivo. Além de tornarem Parnaíba e região grandes produtores de frutas, os tabuleiros litorâneos representam uma perspectiva de geração de emprego e renda. Agora, é trabalhar pelos recursos necessários para a retomada das obras”, disse Heráclito Fortes.

O deputado adiantou que os problemas jurídicos no Tribunal de Contas da União (TCU), que impediam a retomada das obras, já foram resolvidos. Segundo ele, não há necessidade de novas licitações para as obras, o que diminui a burocracia e agiliza a liberação dos recursos.

TABULEIROS LITORÂNEOS
O Projeto Tabuleiros Litorâneos foi iniciado em 1989, ainda no Governo Sarney, com o objetivo de tornar a região Norte do Piauí um centro produtor por meio de sistema de irrigação moderno, semelhante ao que transformou Petrolina, no Pernambuco, num dos maiores produtores de frutas do Nordeste.

O projeto inclui uma área total de 9 mil hectares de área irrigada para produção de banana, acerola, coco, melancia, abacaxi, manga, goiaba e outras frutas. Atualmente, apenas 1.600 hectares dos 2.450 hectares da primeira etapa estão funcionando, com produção principalmente de acerola, banana, abacaxi, coco e melancia, que gera uma receita anual de R$ 34 milhões e 1.400 empregos diretos e 2 mil indiretos.

“Essa região reúne todas as condições para se transformar num grande centro de produção de frutas do Nordeste. E foi para ver isso que trouxemos o ministro aqui”, disse o deputado Heráclito Fortes.

Por Ana Cristina Guedes | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário