quarta-feira, junho 20, 2018

Há quatorze dias em greve e sem acordo com o governo: “Não vamos recuar”, afirma Sinte-PI

Mesmo com pedido do Themístocles Filho, o governador Wellington Dias mantém reajuste de 2,95% para os trabalhadores da educação do Estado.
Em manifestação, Sinte-Pi reivindica reajuste salarial de 6,81% (Foto: Divulgação)
O deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) Themístocles Filho, prometeu ao Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado (Sinte-Pi), na tarde de segunda-feira (18/06), que iria conversar com o governador Wellington Dias a respeito do reajuste salarial da categoria. Em manifestação, o Sinte-Pi  compareceu na manhã desta terça-feira (19/07), a sede da Alepi para cobrar a resposta de Themístocles.

O chefe do Executivo se comprometeu em março deste ano, que daria o reajuste salarial de 6,81% integral para professores ativos, aposentados e pensionistas, enquanto uma primeira parcela de 3,15% seria dada para funcionários de escola e uma segunda de 3,91% para eles no mês de setembro. O Governo do Estado não cumpriu a promessa e servidores retomaram a greve que já dura 13 dias.

A assessoria de imprensa do Sinte-Pi, contou que o sindicato está aberto a negociações, mas que não vai aceitar o reajuste de 2,95% oferecido pelo Estado. Wellington Dias justifica que não pode oferecer um reajuste salarial maior que 2,95% pois fere a Lei Eleitoral e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

“O sindicato pede para que o governador cumpra o Acordo Judicial, que foi prometido em março. Não vamos retomar as atividades até que o Estado garanta nosso reajuste”,  disse.

O sindicato dos trabalhadores da educação irá realizar nova Assembleia com a categoria, na próxima segunda-feira (25/06), para debater sobre os próximos passos do movimento grevista.

Por: Shelda Magalhães/OitoMeia | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário