sexta-feira, maio 18, 2018

Juiz notifica Conselho de Administração e pede interventor para o Parnahyba

CRA é acionado pela 1ª Vara de Parnaíba para escolha de profissional que vai assumir temporariamente presidência do Tubarão. Batista Filho segue afastado até julgamento de ação movida por Gringo.
Petrarca Alelaf  e Leony Veras, o "Gringo" representam a chapa de oposição que perdeu a última eleição para a diretoria do Parnahyba e que acionou a justiça (Foto: José Wilson / Jornal da Parnaíba)
O juiz da 1ª Vara da Comarca de Parnaíba, Georges Cobiniano Sousa de Melo, notificou o Conselho Regional de Administração do Piauí pedindo a indicação de um profissional filiado à entidade para que possa assumir interinamente a presidência do Parnahyba Sport Club. O presidente do CRA, Rodrigo Cavalvante, confirmou o contato oficial do juiz que afastou preventivamente Batista Filho da diretoria do Tubarão por supostas irregularidades na eleição presidencial de 2017. O cartola negou qualquer descumprimento do estatuto azulino.

- Como existe prazo e por uma questão de logística, o CRA vai passar à Justiça a relação dos profissionais da administração que residem em Parnaíba e que estão em condições regular junto ao Conselho. Logicamente que o Conselho não tem, nesse curto espaço de tempo, como avaliar questões de habilidade técnica do profissional, então ele dará respaldo com o nome dos profissionais graduados e registrados junto ao conselho da classe – explicou o presidente do CRA ao GloboEsporte.com.
Batista Filho, reeleito ano passado, presidente do Tubarão é acusado de não prestar contas do clube (Foto: Miguel Bezerra)
De acordo com a determinação judicial, o Conselhor Regional de Administração deve apontar o interventor que assumirá a presidência até o julgamento da ação movida por Leony Veras, o Gringo. O ex-jogador foi derrotado nas eleições para presidente e acionou a Justiça, em outubro do ano passado, apontando, dentre outras supostas irregularidades, a não prestação de contas dos mandatos nos biênios de 2014/2015 e 2016/2017.

Matérias relacionadas:
- O Batista nunca apresentou uma prestação de contas. A última prestação de contas do Parnahyba foi feita por mim (quando era presidente) em 2006, quando fomos tricampeões - acusou Gringo.

O juiz Georges Cobiniano relatou na ação que pediu afastamento de Batista Filho pela ausência de prestação de contas confirmada pelo Ministério Público Estadual, o que pode ser considerado um indício de má gestão no clube. Na decisão que pediu afastamento, o magistrado afirmou que a permanência de Batista Filho no cargo "é um perigo para o patrimônio da entidade por ele administrada".

Procurado pelo GloboEsporte.com/piaui, o presidente afastado negou qualquer infração, sobretudo no processo que prolongou o mandato dele por mais dois anos no Tubarão.

- Vamos recorrer para que eu volte à presidência. Da minha parte estou tranquilo, tenho a consciência tranquila. Decisão da Justiça tem que cumprir. Fui notificado, estamos reunidos com os advogados e vamos tomar as providências. Todos os argumentos que eles estão falando não existem, é uma coisa de perdedor. Vamos provar que aqui todo mundo é homem, não é moleque, não - argumentou Batista após o despacho do juiz.

O presidente interino assume o cargo de forma temporária até o dia 19 de junho, quando deve ser realizada a audiência de conciliação, marcada para às 9h30.

Por Renan Morais e Wenner Tito/G1 | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário