quarta-feira, maio 23, 2018

Conselho indica nomes a juiz, e Parnahyba deve ganhar interventor nos próximos dias

CRA envia lista de administradores aptos a assumirem interinamente presidência do Tubarão até julgamento de ação que afastou Batista Filho.
Juiz da 1ª Vara da Comarca de Parnaíba, Georges Cobiniano Sousa de Melo
O Conselho Regional de Administração do Piauí (CRA-PI) enviou, nesta terça, para a seccional de Parnaíba a relação dos filiados aptos a assumir interinamente a presidência do Parnahyba Sport Club. A indicação do CRA-PI atende a um pedido do juiz da 1ª Vara da Comarca da cidade, Georges Cobiniano Sousa de Melo, que solicitou ao conselho da classe a indicação de um profissional da área para ocupar o cargo de Batista Filho, afastado preventivamente por supostas irregularidades no Tubarão. Não há prazo ou data para que o escolhido assuma o comando azulino.

No documento enviado pelo CRA-PI e assinado pelo presidente Rodrigo Costa Cavalcante, o Conselho atende ao pedido do ofício Nº 124/2018 expedido pelo juiz. O administrador anexou uma planilha com nomes dos profissionais registrados, adimplentes com o órgão e residentes em Parnaíba.
CRA-PI lista adminsitradores adimplentes e encaminha nomes a juiz (Foto: Divulgação/CRA-PI)
- Ressalta-se, oportunamente, que as informações atualmente presente no banco de dados dos CRA-PI não permitem a seleção de profissionais por campo de atuação ou por habilidades técnicas, motivo pelo qual a seleção de nomes tenha sido feita tão somente mediante critério geográfico, sendo indicados aqueles profissionais registrados e adimplentes, portanto aptos a exercerem a profissão, e residentes na mesma cidade da pessoa jurídica sob intervenção – diz o documento. 
Batista Filho deixa provisoriamente cargo enquanto denuncia é julgada pela Justiça (Foto: Wenner Tito)
O futuro interventor deve assumir a presidência do Parnahyba após a saída de Batista Filho, afastado do cargo enquanto a ação corre nas mãos da Justiça. 

Ex-jogador e ex-presidente do Tubarão, Leony Veras, o Gringo, perdeu a eleição presidencial para o rival político, mas moveu uma ação, em outubro do ano passado, apontando supostas irregularidades nas prestações de contas da atual diretoria e no processo eleitoral que estendeu o mandato de Batista Filho no clube. O cartola denunciado deixou o cargo assim que notificado e negou qualquer descumprimento do estatuto do clube.

Responsável pelo afastamento de Batista Filho, o juiz Georges Cobiniano relatou na ação a ausência de prestação de contas confirmada pelo Ministério Público Estadual, o que pode ser considerado um indício de má gestão. Na decisão, o magistrado afirmou que a permanência de Batista Filho no cargo "é um perigo para o patrimônio da entidade por ele administrada".

O presidente interino fica no cargo até o dia 19 de junho, quando deve ser realizada a audiência de conciliação entre Batista Filho e Gringo.

Fonte: G1/PI | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário