sábado, março 31, 2018

Trecho da BR 343 que desabou continua interditado e sem previsão de liberação

Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Piauí, inspetor Welendal Tenório, não há previsão de liberação.
Trecho da BR 343 continua intrafegável | Foto: Lucas Dias/GP1
O superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Piauí, inspetor Welendal Tenório informou ao GP1 na manhã deste sábado (31), que o trecho da BR 343 que desabou na noite desta sexta-feira (30), permanece interditado, sem previsão de liberação.

Segundo Welendal Tenório, uma equipe do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) irá ao local na segunda-feira (2), avaliar os danos causados e fazer um levantamento mais preciso. “A parte técnica do DNIT avaliou que só é possível fazer qualquer tipo de ação a partir da segunda-feira. Nesse primeiro momento eles pediram a interdição do local e depois vão fazer uma avaliação dos danos e ver se há a possibilidade de fazer um desvio. A partir daí eles irão avaliar quanto tempo será levado para retomar o trecho e para deixar ele em condições de tráfego”, afirmou.
Dois veículos de passeio caíram na cratera que se abriu no trecho da BR 343 | Foto: Lucas Dias/GP1
Conforme o inspetor, quatro pessoas ficaram feridas após o trecho que fica próximo a rotatória do Motel Afrodite, próximo a empresa Copperline, na zona sudeste de Teresina desabar. De acordo com ele, as fortes chuvas que caíram em Teresina, na quinta-feira e nesta sexta-feira, ocasionaram o desmoronamento de um bueiro, resultando no rompimento da pista.

Dois automóveis e um semirreboque carregado de madeira, acabaram caindo no trecho. As famílias que moram na região ficaram ilhadas e algumas casas foram invadidas pela água.
Semireboque que caiu na cratera que se abriu na BR 343 | Foto: Lucas Dias/GP1
Por Nayrana Meireles/GP1 | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário