terça-feira, março 06, 2018

Professor marca encontro com garoto e leva uma surra da família

Professor Wagner Nunes Vieira sendo conduzido para a Central de Flagrantes
Um professor de literatura de um conceituado colégio de Parnaíba, identificado por Wagner José Nunes Vieira, de 46 anos, marcou um encontro com um aluno, um garoto de 16 anos e após a família tomar conhecimento fez o monitoramento do encontro que seria por trás de um motel no final da tarde desta terça-feira (06). Wagner falava com os pais do aluno pensando que falava com o garoto.

Antes que o encontro se consumasse, os familiares do garoto, um tio, esperaram na hora marcada, por volta das 16h, em uma rua do conjunto Morada da Universidade, próximo ao motel do Bairro Piauí e conseguiram pegar o professor e aplicaram uma surra. Em seguida chamaram a polícia que efetuou sua prisão.
Da surra o professor Wagner Nunes Vieira ficou com o rosto desfigurado
Dois celulares do professor foram apreendidos, e segundo o tio do menor existem outras vítimas, bem como diversas mensagens de outros possíveis encontros. De acordo com a Polícia, as mensagens e fotos enviadas pelo celular do suspeito comprovam o assédio. Wagner usava palavras ‘carinhosas’, além de mandar fotos íntimas para o menor.

Antes de levar para a Central do Flagrantes os policiais conduziram o professor Wagner para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA) para tratar dos hematomas. Populares informaram que foi muita taca e que ele chegou todo quebrado no hospital.

O professor Wagner leciona em vários colégios de Parnaíba. Ele também dá aula de teatro para crianças e adolescentes e ensaia peças teatrais.
Segundo o delegado João Rodrigo Luna, nenhum crime por parte do homem foi comprovado até o momento, mas o caso será investigado. O tio vai responder por lesão corporal.

O delegado disse que o tio do adolescente estava com o celular do garoto quando o homem teria enviado uma foto íntima. A conversa, segundo ele, durou alguns dias. Durante toda a conversa, era o tio do jovem que conversava com o homem. “Ele então marcou um encontro e, ao chegar lá, ele foi bastante agredido. Foram agressões relevantes, mas ele não corre risco de morrer”, declarou o delegado.

Ele disse que o tio terá de assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência por lesão corporal e que não há situação de flagrante contra o homem que foi agredido.

“Ele sequer foi ouvido ainda, depois das agressões foi direto ao hospital. Ainda vamos saber o que aconteceu,  tudo será apurado, mas muitas pessoas estão condenando sem saber. Não há flagrante contra ele, todo o tempo a conversa foi com o tio do adolescente”, explicou o delegado.

Segundo ele, como o adolescente tem 16 anos e não é mais considerado criança – 12 anos incompletos, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) –, não está configurado o crime de aliciamento.

Por José Wilson| Jornal da Parnaíba
Postar um comentário