terça-feira, fevereiro 20, 2018

“UPA nunca foi entregue a atual administração”, diz prefeito Mão Santa

Mão Santa diz que por conta de débito de R$ 700 mil deixados pelo prefeito anterior a UPA nunca foi entregue à atual administração.
“Nós ainda não recebemos a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) porque o governo do PT ficou devendo a construtora e o engenheiro Eduardo Sampaio só entrega quando for pago”, disse hoje o prefeito Mão Santa, durante a solenidade de entrega de 8 novos veículos para a Secretaria de Saúde. Ele se disse surpreso com as informações publicadas na imprensa local, dando conta de que a obra teria sido abandonada pela sua administração. “Nenhum jornalista me procurou para saber informações”, comentou.

A obra da UPA 24 horas foi iniciada ainda em 2013, no 1º ano de gestão do ex-prefeito Florentino Neto, com prazo de entrega para o ano seguinte, conforme atesta a placa. O governo do ex-prefeito (Florentino) acabou; “parte da estrutura física não foi concluída, falta muita coisa, e ainda ficaram devendo cerca de R$ 700 mil reais à construtora”, diz o ex-secretário de saúde, Valdir Aragão. Ele disse que o prefeito Mão Santa solicitou e obteve a promessa do hoje secretário de saúde, Florentino Neto, de que sua secretaria iria assumir o débito junto à empresa, coisa que não aconteceu até hoje, embora a promessa tenha sido feita em julho do ano passado.
Nos primeiros meses da administração Mão Santa, na companhia do então secretário de saúde, Valdir Aragão e do engenheiro da obra, Eduardo Sampaio, o prefeito visitou as instalações da UPA e constatou que da forma como foi concebida – do tipo III, não haveria como o município administrar, “uma obra megalomaníaca dessa gente do PT, porque esses sonhos mirabolantes são ilusão”. Do jeito que está, nosso sistema vai quebrar, porque teremos que atender 11 municípios. Vou comprometer os recursos das creches, das escola e será que os prefeitos desses municípios vão nos ressarcir nossas despesas?” – disse na ocasião.
Dias depois, em viagem a Brasília, com Valdir Aragão, Mão Santa conseguiu com o Ministro da Saúde à época, Ricardo Barros, que a UPA fosse reduzida para o tipo II, com um raio de atendimento menor, dentro das possibilidades do município. “O ministro disse até que nós poderíamos inaugurar até como tipo I, sem necessidade do município devolver recursos”, lembra Valdir.

Mas tudo parou porque o secretário estadual de saúde e ex-prefeito, Florentino Neto, nunca cumpriu o prometido, de pagar o débito de sua gestão com recursos da secretaria de saúde. Promessa feita também à secretária de infraestrutura, Gracinha Moraes Souza, na presença do senador Ciro Nogueira. “Agora a imprensa do PT quer confundir a população dizendo que foi Mão Santa que não concluiu a obra”, diz Gracinha.
Postar um comentário