quarta-feira, janeiro 03, 2018

Vigilante da Pedra do Sal que ajudou a salva 11 pessoas conta momentos de terror na praia

No primeiro dia do ano de 2018, banhistas que foram até a Praia da Pedra do Sal relataram os perigos do mar naquele dia, que além das marés altas que traziam fortes ondas, também não havia nenhuma guarnição do Corpo de Bombeiros e nem salva-vidas. Um afogamento chegou a ser registrado, quando o jovem pedreiro Robson Alves Ferreira da Silva, 27 anos, mais conhecido “Robinho”, morreu afogado por volta das 15h00min.

De acordo com informações repassadas pelo vigilante particular e morador da comunidade da Praia da Pedra do Sal, Francisco José Silva Cardoso, conhecido como Neném, ele e outro homem entraram no mar para resgatar 11 pessoas que estavam se afogando. “Quando cheguei vi muita gente se afogando, então eu e outro homem que estava lá, corremos e conseguimos salvar 11 pessoas. Não tinha nenhuma salva-vidas lá, então eu fiquei avisando as pessoas que a maré estava enchendo e que tinha um buraco na areia”, contou Neném.
O vereador Carlson Pessoa conversou com o vigilante e hoje pela manhã (03) durante apresentação do programa Flagrante, cobrou uma ação efetiva da Prefeitura de Parnaíba, a fim de que sejam colocadas placas de sinalização ao longo dos locais que apresentam os maiores riscos de afogamento. Carlson disse ainda que ontem à noite (02), conversou com o prefeito Mão Santa após cerimônia de posse da nova Mesa Diretora da Câmara Municipal, e solicitou a realização de concurso público para a contratação de salva-vidas exclusivos para a Praia da Pedra do Sal.

Leia também:
“Não podemos esperar pelo governo do Estado, pois está provado que Wellington Dias não se importa com Parnaíba. Enviaram profissionais para Luís Correia, Coqueiro, Barra Grande, mas para a nossa praia, não veio ninguém”, protestou Carlson que ao mesmo tempo elogiou os policiais militares Sargento Gilson, Cabo Madson e Cabo Funaro, do 2°BPM em Parnaíba, que bravamente adentraram ao mar para resgatar dois banhistas.

Por Luzia Paula/Ascom  | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário