terça-feira, janeiro 23, 2018

Primeira negra diplomata no Itamaraty é filha do Piauí criada em Barra Grande

Luana Alessandra Roeder foi adotada por agrônoma alemã que reside em Barra Grande no litoral piauiense.
Luana Alessandra Roeder foi abandonada pela mãe na Maternidade Evangeliza Rosa, em Teresina. Depois de encaminhada para um orfanato, foi adotada pela agrônoma alemã Reinhild Roeder, que criou a menina entre a praia de Barra Grande no município de Cajueiro da Praia, no litoral piauiense, onde tem uma casa, e Brasília, onde a garota cresceu e cursou o Relações Exteriores da Universidade de Brasília - UnB.

Logo no início da adoção, Reinhild notou que a garotinha era dotada de uma inteligência excepcional. Acertou em cheio.

No último dia 15 de janeiro, Luana tomou posse no Itamaraty, após aprovação no concurso público do Instituto Rio Branco. Vai seguir carreira diplomática. É a primeira mulher piauiense - e negra - a conquistar tal façanha. Luana Alessandra nos enche de orgulho. Seja feliz na sua trajetória. Talento, nós sabemos que você tem!

Por Durvalino Couto/JL | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário