terça-feira, dezembro 12, 2017

Rota das Emoções insere litoral piauiense em turismo mundial

Roteiro envolve viagem entre o litoral do Maranhão, Piauí e Ceará. O turista pode desfrutar de um mix de ecoturismo, praias, gastronomia e esportes praticados na região.
Com vento o ano todo, Barra Grande no litoral piauiense é o point dos kitesurfistas
Nem todo piauiense conhece as belezas naturais do estado, mas durante o ano inteiro, o Piauí é rota especial nas viagens de turistas de todos os lugares do mundo. Inserido na Rota das Emoções com os estados do Maranhão e do Ceará, o Piauí é destaque quando o assunto é ecoturismo.

Normalmente a Rota das Emoções começa em São Luís e termina em Fortaleza, por conta dos aeroportos, que são a porta de entrada para os turistas. Apesar da viagem ser personalizada, indica-se inicialmente o Maranhão por causa das dunas até a chegada nos Lençóis Maranhenses. Em seguida o turista pode relaxar nas praias de Barra Grande, no litoral piauiense e em Jericoacoara, no Ceará.

Delta do Parnaíba com mais de 70 ilhas e natureza preservada
A Rota faz um mix de artesanato, esportes, praias, gastronomia e ecoturismo. O turista pode decidir como será sua viagem de acordo com suas condições. “Cada cliente faz como quiser, pode fazer tanto em sete dias quanto em vinte. Vai depender de quanto ele quer gastar, de quanto tempo ele tem livre e o perfil do cliente”, contou Carina Camara, empresária do turismo.

Segundo pesquisa do Sebrae de 2015, entre os anos de 2011 e 2015 mais de 70 mil pessoas visitaram a Rota das Emoções e permaneceram nos três estados de 8 a 15 dias.
Jericoacoara no vizinho estado do Ceará
Perfil do Turista
A Rota das Emoções recebe turistas de todo o Brasil e também do mundo. Em algumas épocas do ano, o kitesurf atrai o turista europeu. “O kitesurf que move o litoral no segundo semestre. De julho até setembro temos as férias na Europa e o europeu vem muito pra cá. E o europeu gosta muito de ecoturismo, muito de participar. E Jericoacoara não está mais nessa onda. Deu uma mudada por causa do movimento excessivo”, contou Carina.

O turista europeu gosta muito da calmaria das praias paradisíacas do nordeste, o que o faz deixar a ida a Jericoacoara em segundo plano. “Muitos clientes da Europa estão deixando de fazer Jeri para fazer Maranhão e Piauí”, concluiu Carina.
Leiçóis maranhenses
As empresas turísticas contam com o auxílio de guias que falam até sete idiomas. Apesar disso, o Piauí ainda é carente de guias turísticos que possam atender ao mercado.

Piauí referência
Segundo pesquisa do Ministério do Turismo a cidade de Parnaíba, por conta do Delta, será um dos três principais destinos de ecoturismo do país. A cidade piauiense ficará ao lado de Foz do Iguaçu e Chapada da Diamantina.
Porto dos Tatus no município de Ilha Grande, porta de entrada para o Delta do Parnaíba
Delta do Parnaíba
A área da Reserva Extrativista do Delta do Parnaíba é de mais de 27 mil hectares, mas a área total do rio que se desmembra em cinco braços até chegar ao mar ultrapassa os 307 mil hectares entre o Piauí e Maranhão.

Para iniciar o passeio é necessário se deslocar para o Porto dos Tatus, em Ilha Grande. De lá, o turista segue em barcos. Durante a viagem é possível observar uma fauna impressionante. Macacos comem caranguejo, uma família de capivaras brinca na água e inúmeros pássaros surgem para deixar o passeio ainda mais bonito.

No caminho também é possível observar catadores de caranguejo que sabem a importância de preservar o local para a continuação da espécie que gera seu sustento. A região do Delta do Parnaíba é atualmente a maior produtora de caranguejos do país.
Revoada dos guarás (ave simbolo do Delta)
 Revoada dos guarás
Um dos momentos mais bonitos da viagem acontece no fim de tarde no Delta do Parnaíba. É o momento em que centenas e guarás aparecem. O momento se chama Revoada dos Guarás e é surpreendente para quem gosta de admirar a natureza. As aves se recolhem para dormir silenciosamente tinturando o céu de vermelho.

Quanto custa fazer a Rota das Emoções?
O valor da viagem depende do tempo e das comodidades. “Se você for viajar em duas pessoas e passar sete dias, que é o mínimo para fazer a rota, uma coisa mais simples, o mínimo que você vai gastar R$ 2.300 por pessoa. O valor vai da onde você vai ficar, quanto tempo vai passar”, avisa Carina.

Além dos pacotes versão light, a empresária diz que há muita gente disposta a pagar caro para curtir o passeio com o maior requinte. “Eu tenho cliente que chega em São Luís e não vai de carro para Barreirinhas, vai de avião fretado. Chega em Jeri e quer andar de helicóptero”, conta.

Por Andressa Martins/GP1 | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário