terça-feira, dezembro 19, 2017

Juiz Marcelo Mesquita recebe título de cidadania piauiense

Dr. Marcelo Mesquita foi juiz eleitoral titular da 3ª e 4ª Zona Eleitoral de Parnaíba com atuação destacada na última eleição municipal.
Dr. Marcelo Mesquita (de toga), juiz eleitoral titular da 3ª Zona Eleitoral de Parnaíba realizando a diplomação dos eleitos no pleito de 2016. (Foto: Darklise Albuquerque/Jornal da Parnaíba)
Atendendo requerimento do deputado Luciano Nunes (PSDB), Assembleia Legislativa realizou na manhã desta segunda-feira (18) sessão solene especial para a entrega do Título de Cidadão Piauiense ao juiz paulista Marcelo Mesquita Silva, que atua no Tribunal de Justiça do Piauí desde maio de 2002.

Ao saudar o homenageado, o deputado Luiano Nunes ressaltou a satisfação de tomar a iniciativa de conceder o título de cidadania ao juiz Marcelo, pelos relevantes serviços prestados à sociedade e ao Poder Judiciário piauiense e brasileiro, na condição de juiz auxiliar-técnico em informática do Conselho Nacional de Justiça.

A ida do juiz Marcelo Mesquita para o CNJ foi em razão do seu vasto currículo, segundo o deputado Luciano Nunes: “Ele possui diversos cursos em direito, tecnologia da informação e comércio internacional, inclusive de multiplicador pelo Itamaraty; além de cursos em segurança da informação, melhores práticas de gestão em TI e crimes cibernéticos; além de ser professor de diversos em universidades do Piauí e Brasília, na área da informática”.

Já Marcelo Mesquita falou da satisfação de receber esta homenagem dos piauienses, através do Poder Legislativo; e lembrou-se de quando chegou ao Piauí, em maio de 2002, quando teve o privilégio de fazer inúmeras amizades de pessoas de caráter da área de direito como advogados, juízes, defensores e promotores públicos e da sociedade em geral.

O novo piauiense falou das dificuldades que passou na infância como morador da comunidade Capão Redondo, um dos bairros mais violentos da periferia de São Paulo, o que não o impediu de estudar e realizar o sonho de ser juiz. “Não conheci a fome e os percalços pelos quais passei não me impediram de agir e tomar a decisão certa”, disse Marcelo.

Por último falou o juiz Tiago Brandão, presidente da Amatra – Associação dos Magistrados do Trabalho, que considerou justa a homenagem que a Assembleia fazia ao seu colega Marcelo Mesquita.

Tiago lembrou que, como Marcelo, muitos juízes que atuam no Piauí vieram de outros estados, aprovados que foram em concurso público. Para ele, ao homenagear Marcelo Mesquita, a Assembleia homenageia os demais colegas que vieram de outros Estados da Federação.

Por Edmundo Moreira e Caio Bruno/Alepi  | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário