terça-feira, novembro 07, 2017

Fecomércio propõe parceria para aproveitar estrutura do porto de Luís Correia

Valdeci Cavalcante, presidente da Fecomércio
A Federação do Comercio Varejista do Estado do Piauí (Fecomércio Piauí) quer aproveitar a estrutura do porto de Luís Correia e viabilizar um espaço para pequenas embarcações. O projeto de parceria foi apresentado em reunião com gestores do Governo. Os custos do Estado seriam de aproximadamente R$ 30 milhões. 

A proposta é que o Estado invista R$ 29,5 milhões para um estacionamento, asfaltamento e envelopamento da área abandonada das obras do porto. A Fecomércio investiria R$ 60 milhões na urbanização de uma área degradada de 15 hectares, a "Estação Ecológica de Amarração", que funcionaria como uma marina do porto e seria explorada pela Federação. 

"Eu só vi duas pessoas interessadas em concluir o porto de Luís Correia: Alberto Silva e Reis Velloso. As outras pessoas não têm interesse, só têm interesse nas verbas", disse Valdeci Cavalcante, presidente do sistema Fecomércio no Piauí, em entrevista na Rádio Cidade Verde, nesta segunda-feira (6). 

Valdeci Cavalcante defende que se faça um porto pequeno, um estacionamento para ancorar pequenos barcos, nos moldes do que se pensava nos anos 1970. "Sonhar com uma coisa maior que isso é para o futuro", disse o empresário, que defende a revitalização da área e aproveitamento da estrutura abandonada. 

O projeto seria posto em pratica por meio de cessão de direito real de uso por tempo determinado, ao invés de uma parceria público-privada, cujo processo tende a ser mais longo para sair do papel. A ideia é que a estação ecológica seja como um shoppping a céu aberto e vire ponto obrigatório na vida noturna do litoral piauiense.

Crise econômica
No Cidade Verde Notícias, Valdeci Cavalcante disse acreditar no governador Wellington Dias (PT) para a realização do projeto, "mesmo com muitos erros na gestão". O empresário até defendeu o petista das críticas ao projeto que aumenta alíquotas de imposto a partir de janeiro. 

"Eu conheço todos os estados do Brasil e as dificuldades que eles estão passando alguns falidos porque governantes não tomaram providências (...) Eu reclamo de impostos: eu tenho lojas. Quando nós começamos eram 17% de imposto, hoje está 30% só de ICMS. Nós estamos trabalhando sem lucro para não perder a freguesia", disse Valdeci Cavalcante.

O presidente do sistema Fecomércio explicou a razão de não se juntar aos empresários que protestaram contra a medida. "Eu acho que o governador é muito corajoso em propor uma medida de aumentos e ele vai ser julgado pela opinião pública no próximo ano. (...) Eu reconheço que o estado do Piauí só tem uma fonte de receita, que é cobrar mais impostos. Ou se cobra mais impostos, ou não se vai pagar funcionário público, não se vai pagar obrigações", respondeu. 

Valdeci Cavalcante ainda falou sobre outros setores que criticam a majoração dos tributos. "O Piauí tem cinco poderes: Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Tribunal de Contas. Todos querem o sacrifício do governador. Nenhum quer se sacrificar e ficam todos falando mal", criticou.

Veja a entrevista de Valdeci Cavalcante na TV Cidade Verde:

Fábio Lima/Cidade Verde | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário