sábado, outubro 28, 2017

Polícia Civil recambia acusados de homicídio em Parnaíba presos em Ceilândia

Polícia Civil reconduz dois homicidas paraibanos à Parnaíba; A prisão foi efetuada em Ceilândia, Distrito Federal onde os acusados estavam foragidos.
Gilvan Oliveira Marques, o “Biscoito” e Diego Maradona dos Santos Barros
A Polícia Civil de Parnaíba, através de policiais da Delegacia de Homicídios da região, com o apoio de policiais da Delegacia de Crimes contra o Patrimônio (DEPATRI), realizaram o recambiamento na madrugada deste sábado (28), de Gilvan Oliveira Marques, mais conhecido como “Biscoito”, e Diego Maradona dos Santos Barros, que haviam sido presos em 16 de julho deste ano, por terem assassinado o menor de 15 anos identificado por Rômulo Santos Vieira em 02 de maio, no bairro Piauí, em Parnaíba.

Clique AQUI e saiba mais sobre o crime da Rua Oeste.

De acordo com informações do delegado Eduardo Aquino as prisões foram realizadas no município de Ceilândia, no Distrito Federal, onde foram cumpridos os mandados de prisão temporária de Gilvan e Diego Maradona. As investigações foram conduzidas pela Delegacia de Homicídios, Tráfico de Drogas e Latrocínio de Parnaíba (DHTL) e Núcleo de Inteligência da Planície Litorânea, com o apoio da Polícia Civil do Distrito Federal, através da Divisão de Inteligência Policial (DIPO).
Mandado de prisão temporária expedido pela Juíza da 1ª vara Criminal e Execuções Penais, Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos.

As investigações apontam que o crime se deu devido a uma dívida relacionada ao tráfico de drogas, tendo sido Gilvan, o mandante do crime, e o indivíduo Diego, o executor. Há ainda outra pessoa envolvida no crime, Najala dos Santos Barros, que é esposa de Gilvan, irmã de Diego e proprietária da motocicleta utilizada no crime. Ela foi considerada cúmplice.
Rômulo Moreira foi assassinado no dia 02 de maio, no bairro Piauí, em Parnaíba.
“Biscoito” e Diego já possuem diversas passagens pela polícia por tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, roubo majorado, dentre outros. Os dois estavam presos no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal e foram recambiados para a comarca de Parnaíba. 

O Mandado de Prisão Temporária foi expedido pela Juíza da 1ª Vara Criminal e Execuções Penais de Parnaíba, Maria do Perpétuo Socorro Ivani de Vasconcelos.
Najala dos Santos Barros, que é esposa de Gilvan, irmã de Diego e proprietária da motocicleta utilizada no crime. Ela foi considerada cúmplice.
Jornal da Parnaíba

Postar um comentário