terça-feira, outubro 10, 2017

Empresários se reúnem na ALEPI para barrar aumento de impostos do Governo do Estado

Todos os setores mostram-se totalmente contra a aprovação do projeto que foi enviado em caráter de urgência.
Nesta terça-feira (10), o presidente da Federação das Indústrias do Piauí – FIEPI, Zé Filho, liderou grupo de entidades representantes do setor produtivo do Piauí, na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa para retirar de pauta o projeto que aumenta a alíquota de impostos de diversos produtos e serviços, do Governo do Estado.

Na segunda-feira (09), durante o evento promovido pela Associação de Jovens Empresários – AJE PI, o Líder Piauí, Zé Filho, convocou os empresários presentes para irem juntos à ALEPI, nesta terça-feira (10), barrar a votação. “Estamos aqui para discutir o melhor para o Estado. Temos diversos sindicatos das indústrias filiados com centenas de empresários que empregam. Aqui convido a Associação Industrial e outros segmentos, inclusive o governo para juntos procurarmos uma solução de desenvolvimento para o Estado, sem que seja preciso mais aumento da carga tributária”, conclui Zé Filho.


Presentes na comissão representantes de diversas entidades, como a Federação das Indústrias do Piauí – FIEPI, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Sindicato da Indústria e Construção Civil - SINDUSCOM, Federação da Agricultura, Associação Industrial do Piauí - AIP, Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Piauí – SEBRAE, Associação Piauiense de Empresários de Obras Públicas – APEOP, Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí – SINDILOJAS, Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Piauí - CRECI-PI, Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Piauí – SINDHOSPI, Associação dos Produtores de Soja do Piauí - APROSOJA, Associação Brasileira dos Produtores de Milho do Piauí - ABRAMILHO, Associação Piauiense dos Produtores de Algodão - APIPA e SINDPETRO.

Todos os setores mostram-se totalmente contra a aprovação do projeto que foi enviado em caráter de urgência. Em razão das duras críticas e da polêmica que a matéria tem causado ao presidente da CCJ, deputado Evaldo Gomes, retirou a matéria da pauta de votação de hoje (10).
O deputado João de Deus (PT), líder do governo na Alepi, solicitou que seja realizada uma reunião em outra data, para que a questão possa ser melhor discutida. O deputado Rubem Martins foi contra o pedido, e solicitou, ao contrário, que seja realizada uma audiência pública para debater a proposta "em respeito ao povo do Piauí", sendo aplaudido e apoiado pelos presentes e pelo deputado Mardem Meneses.

De acordo com a proposta, o Governo do Estado quer aumentar o Imposto sobre Operações de Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) a ser cobrado a partir de 2018, o que deve implicar em reajuste do preço de produtos e serviços. A matéria também promove anistia de multas e juros para débitos de ICMS e IPVA.
“Estamos em um momento de crise e o que o Governo do Estado tem que fazer é tornar a gestão eficiente e não aumentar impostos, o que sobrecarrega não só a classe empresarial, mas também tem grande impacto no orçamento familiar”, defende Zé Filho.

Durante a reunião o deputado João de Deus intermediou o contado do presidente da FIEPI e o secretário de Fazenda, Rafael Fonteles. Onde ficou definida reunião com os empresários e o secretário, nesta quarta-feira (11), ás 9:30 horas na sede da Federação das Indústrias do Piauí.
Na sessão da Assembleia Legislativa, a deputada Juliana Moraes Souza, convocou todos os deputados que não concordam com o aumento dos impostos a participarem, da reunião com o secretário de Fazenda Rafael Fonteles, para discutirem com os empresários sobre o projeto do Governo do Estado de aumento de impostos.


ASCOM/FIEPI | Edição: Jornal da Parnaíba
Postar um comentário