sexta-feira, junho 09, 2017

Hospital de Parnaíba é referência na assistência materno e infantil

75% dos partos realizados no HEDA são naturais.
Sala de parto da Maternidade do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba
Com o compromisso de reduzir os riscos do parto para mamães e bebês, a Secretaria de Estado da Saúde investe na implantação e execução de diversas ações da Rede Cegonha, que é fundamentada nos princípios da humanização, na qual as gestantes têm direito à assistência especializada e incentiva ao parto natural. O acompanhamento é ofertado desde o início, já na Atenção Básica, para que possíveis complicações na gestação sejam detectadas precocemente.

A Maternidade do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba, é referência em obstetrícia e serviços de alta complexidade neonatal para toda região norte do Piauí e Estados vizinhos. Com média de 250 partos por mês, a maternidade destaca-se pela realização de partos humanizados e suporte em alta complexidade.
Os atendimentos às gestantes, puérperas e bebês são realizados por equipe multiprofissional, composta por médicos especialistas, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogas, assistentes sociais e psicólogos.  A Maternidade também realiza o trabalho de conscientização sobre a importância do parto normal. E ação mostra que bons resultados alcançados: do ano passado até agora, 75% dos partos realizados pelo HEDA foram naturais, refletindo diretamente na redução das taxas de mortalidade materno e infantil.

“Muitas mães insistem no parto cesariano por medo ou falta de conhecimento e nós temos todo o cuidado de orientar essas pacientes para a importância do parto natural, os benefícios de ter o contato com o filho ainda com a placenta e cordão umbilical”, comenta Adrizia Fontenele, diretora geral do HEDA.
Com a oferta de serviços em alta complexidade, a Maternidade também possui alto índice de resolutividade. Este ano, das 1350 gestantes que deram entrada em média para atendimento, apenas duas precisaram ser reguladas para tratamento na capital.

O HEDA oferta acompanhamento especializado por meio do Cardiotocógrafo, equipamento que monitora a gestação durante as fases que antecedem o parto, por meio da ausculta e visualização dos batimentos cardíacos fetais, da monitoração da contração uterina e dos movimentos fetais, sendo o único Hospital da Rede Pública no interior do Estado a ofertar essa assistência especializada por meio de Cardiotocógrafo às gestantes.

Além disso, já está em funcionamento o ambulatório de Alto Risco de atendimento à mulher, que funciona na maternidade do HEDA. Outra obra em fase avançada de construção é a da Casa da Gestante, residência para acolhimento à mulher, de acordo com os padrões de atendimento da Rede Cegonha.

A Casa da Gestante foi criada para acolher, orientar, cuidar e acompanhar gestantes, puérperas e recém-nascidos de risco que necessitam de observação diária, mas não precisam permanecer no ambiente hospitalar. Funciona como interfase entre a residência da paciente e o setor hospitalar, possibilitando, assim, uma assistência para as pacientes que não estão no perfil de uma internação, mas, que precisam de monitoramento com assistência multidisciplinar 24 horas.

Atendimento especializado aos prematuros
Para os bebês prematuros, a Secretaria de Estado da Saúde também oferta assistência, dispondo de 10 leitos na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, além de estar em fase de construção 10 leitos para a Unidade de Cuidados Intermediários Neonatais Convencionais (UCINCo), capazes de realizar atendimentos de alto risco a recém-nascidos que necessitem de cuidados especiais.

 “Atualmente temos um índice de ocupação de 100% dos Leitos de UTI Neonatal em Parnaíba, que vem atender essa demanda de toda macrorregião da planície litorânea, bem como a de outros Estados vizinhos”, completa a diretora do HEDA.

Por: Denise Nascimento | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário