quarta-feira, junho 14, 2017

Ferrim Sub19: a luta tricolor e a campanha de 2017

Diretoria na apresentação da comissão técnica deste ano. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Não bastou ao Ferroviário todo o esforço e organização para a disputa do campeonato piauiense de futebol sub19 desta temporada. Mesmo com a superação de vários obstáculos, ao Ferrim coube contemplar outros clubes na semifinal da competição.

Por ‘dois pontos’, a equipe ferrense não garantiu sua classificação. Mas a labuta tricolor deve ser vista e revista por todos os amantes do futebol, particularmente os parnaibanos.

A LUTA
Desde o início deste ano, o grupo vem realizando trabalhos intensivos, visando o desenvolvimento da base do clube e, sobretudo, a participação no estadual da categoria. Sem quase nenhum patrocinador e com muito pouco apoio, o Ferrim trabalhou (e trabalha) com parcerias e os esforços da diretoria, em especial do presidente Rodney Spindola.
Janeiro deste ano no campo da Cobrasil. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Embora tenha havido um foco também no que diz respeito ao apoio, o grupo não obteve o sucesso desejado, não tendo investimento de nenhum setor governamental, nem mesmo da Federação de Futebol do Piauí houve algo que pudesse ser concebido como tal.
Mesmo sem apoio para tanto, comitiva tricolor embarcou para os jogos de maneira confortável. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Pelo contrário, a FFP somente dificultou ainda mais a participação e ascensão do clube na competição, sem falar nos demais clubes que não são da capital que, igualmente, foram, de certo modo, prejudicados – a realização de todos os jogos em Teresina é um exemplo.

Sem um local fixo para treinamentos, o Ferrim realiza seus treinos no campo da Cobrasil e no estádio Municipal, quando há disponibilidade das duas praças, entretanto.
 Diretoria na antessala da Prefeitura de Parnaíba, no início do ano. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Poucos foram os que acreditaram no projeto tricolor, juntando-se ao presidente Rodney Spindola nesse persistente empenho de “fazer futebol” com pouquíssimas condições. Rodney, aliás, em entrevista, falou que ‘em nome do Ferroviário todos os esforços são válidos’, e de esforços ele entende bem, já que, desde antes, Rodney utiliza-se de seus próprios recursos para manter vivo o grupo, dando-lhe possibilidades reais de desenvolvimento, de disputa e, porque não dizer, de conquistas. 
Rodney Spindola sendo entrevistado na Sede tricolor. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Numa das redes sociais do clube, em ato de gratidão e reconhecimento, Rodney Spindola agradeceu jogadores e comissão técnica pelo término da competição com vitória e reafirmou o fortalecimento com as parcerias, além de mencionar a continuidade do projeto.

“Agradecer a todos os envolvidos no jogo... Também quero agradecer a Comissão Técnica e a Diretoria. Nosso projeto continua e iremos fortalecer mais nossas parcerias. Um agradecimento especial aos atletas que foram homens e provaram a força do Ferrim”, disse.

A CAMPANHA
O Ferrim, então, disputou suas quatro partidas pela fase classificatória. Veio o Cori-Sabbá, dia 13 de maio, e o primeiro ponto somado com um empate em 1 a 1.
Ferrim em Teresina. Aqui, homenagem ao ferrense João de Deus Spindola, pai do presidente Rodney Spindola - foto de Willandy Cordeiro.
A segunda partida, dia 21 de maio, foi a mais discutida e, até hoje, questionada por todo o grupo tricolor. Contra o Tiradentes, classificado em primeiro pelo Grupo B, o Ferrim jogou sua melhor partida, mas não pode deixar o gramado do CFAP com uma vitória, dada interferência direta da arbitragem: um amargo 3 a 2 que viria prejudicar a equipe. Não fosse a arbitragem, inclusive, o tricolor teria vencido o confronto, somado, em geral, 7 pontos, e estaria hoje classificado em primeiro do Grupo B, seguido por Cori-Sabbá, com 6 pontos. Mas, o Ferrim é de Parnaíba e o Tiradentes de Teresina – o torcedor piauiense já conhece ‘o filme’. 
Ferrim em Teresina aguardando o horário do confronto - Foto de Willandy Cordeiro.
O terceiro embate tricolor aconteceu dia 28 de maio, contra a Sociedade Esportiva de Picos. A garotada parnaibana não se apresentou bem e perdeu por 5 a 1, além dos méritos do Zangão – coisas do futebol.

O quarto e último confronto se deu contra o Colorado piripiriense. O tricolor parnaibano venceu o 4 de Julho por 3 a 2, dia 11 de junho (último domingo), somando, portanto, 4 pontos na tabela e classificação.
 
Ferrim após a vitória sobre o 4 de Julho - Foto de João Rabelo.
O Ferroviário, finalmente, mesmo não se classificando e com problemas de várias ordens, encerrou sua participação ficando em 8º lugar com a mesma pontuação da SEP (6º lugar) e 4 de Julho (7º lugar), todos com 4 pontos, superando clubes com maiores estruturas, a exemplo do Parnahyba (9º lugar com 3 pontos) e Flamengo (Lanterna do campeonato com nenhum ponto).

Agora, é ‘fortalecer as parcerias’ e prosseguir com o belo e dinâmico trabalho tricolor.


Por Renneé Fontenele | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário