terça-feira, abril 11, 2017

Presidente da FFP condena denúncia do Fla no TJD: "Regra básica da Fifa"

Cesarino Oliveira reprova interpretação rubro-negra que aponta suposta escalação irregular de jogador do Parnahyba. Dirigente menciona harmonia com Tribunal.

Cesarino Oliveira (Foto: Pablo Silva/TV Clube)
Os desdobramentos do caso que promete colocar Flamengo-PI e Parnahyba em lados opostos no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PI) tem mexido com o brio de Cesarino Oliveira, presidente da Federação de Futebol do Piauí. O dirigente enfatizou ser contrário ao entendimento do Leão, que pede o acúmulo de cartão amarelo em casos de expulsão de atletas que receberem dois seguidos na mesma partida. Por conta desse entendimento, o Mais Querido denunciou o Parnahyba na Justiça por suposto uso irregular de um jogador na semifinal do primeiro turno do Campeonato Piauiense. Cesarino deixou claro seu posicionamento em relação ao caso que põe em xeque o destino da Taça Estado do Piauí.

- Sobre essa questão do pleito do Flamengo-PI de dois cartões, que não entende, no Artigo 24, nós só falamos sobre cartões amarelos e vermelhos. Isso é regra básica de competições Conmebol, Fifa, CBF, que os dois cartões, o segundo é vermelho. A Federação não faz jogo de biriba (cartas), bilhar, só faz futebol. Suas competições de sub-15, sub-17, sub-19, segunda divisão e feminino todas tratam da mesma situação e é regra básica da Fifa: dois cartões no mesmo jogo, o segundo está zerado. Não tem porque aparecer uma outra posição a respeito disso – argumentou o presidente.

O Flamengo-PI protocolou uma denúncia na FFP endereçada ao TJD-PI apontando uma suposta irregularidade do atacante Fabiano do Parnahyba. O jogador recebeu o primeiro cartão amarelo na 3ª rodada. Em seguida, na 4ª rodada, o camisa 9 foi expulso no duelo com o Piauí ao tomar dois cartões amarelos e o consequente vermelho. Depois de cumprir a suspensão automática, Fabiano voltou a jogar pelo Tubarão e tomou um novo cartão amarelo na 7ª e última rodada da fase de classificação.

Na interpretação do Fla-PI, Fabiano acumulou, neste momento, o terceiro cartão amarelo no campeonato, o que forçaria uma nova suspensão a ser cumprida na semifinal. Porém, o Parnahyba usou o atacante no mata-mata e configurou, de acordo com o rival rubro-negro, uma escalação irregular. A diretoria do clube do litoral negou a infração e disse ter cumprido o que prega o regulamento.

- No caso, o operador de direito está pegando essa situação para dizer que um dos cartões só será computado. Mas o regulamento não diz isso. E o Regulamento Geral de Competições, que é nossa constituição, trata da mesma situação – completou Cesarino.
A denúncia do Fla-PI foi recebida pelo TJD-PI e será julgada depois da Semana Santa. Por conta desse impasse jurídico, o título do primeiro turno segue indefinido porque Flamengo-PI e Altos, partes interessadas no processo, seguem à espera da decisão. Caso seja punido, o Parnahyba não perderia os pontos da vitória na semifinal, mas seria eliminado e uma nova decisão seria feita entre Tubarão e Jacaré. Enquanto isso, o returno do estadual segue em andamento.

- O Campeonato segue seu curso normal do segundo turno. Vamos esperar o julgamento. O Tribunal tem a sua independência, mesmo ele tendo que viver harmonicamente com a federação. A gente espera que a comissão julgue e tenha-se o trâmite normal. Esperamos que seja breve para não ficarmos em uma situação, já que a final do campeonato está prevista para o dia 21 de maio – concluiu o presidente da FFP.

Por Globo Esporte | Edição: Jornal da Parnaíba

Postar um comentário