sábado, abril 15, 2017

Parnaíba mantém viva tradição de malhar Judas no Sábado de Aleluia

Malhação de Judas ou Queima de Judas é uma tradição vigente em diversas comunidades católicas e ortodoxas que foi introduzida na América Latina pelos espanhóis e portugueses. É também realizada em diversos outros países, sempre no Sábado de Aleluia, simbolizando a morte de Judas Iscariotes.

Parnaíba não deixa a tradição morrer e é comum encontrar bonecos espalhados pelas ruas da cidade que são colocados "enforcados" na Sexta-feira da Paixão previsto para ser malhado no Sábado de Aleluia. Como de costume, políticos são as personalidades mais lembradas na hora de se confeccionar os bonecos que ganham as ruas da cidade e mostram a opinião popular. Devido a algum acontecimento marcante nos meses antecedentes novos personagens podem aparecer.

Algumas brincadeiras também foram introduzidas para o dia da malhação, tais como a “morte do pato” (em extinção, por conta dos maus tratos aos animais), o “pau de sebo”, o “cabra cego”, a “leitura do testamento”, dentre outras.

A tradição: Malhar Judas consiste em surrar um boneco do tamanho de um homem, forrado de serragem, trapos e jornal, pelas ruas de um bairro e atear fogo, normalmente ao meio dia. Políticos é o alvo preferido da população.

Cada país realiza a tradição de um modo, alguns queimam os bonecos em frente a cemitérios ou perto de igrejas. No Brasil é comum enfeitar o boneco com máscaras ou placas com o nome de políticos, técnicos de futebol ou mesmo personalidades não tão bem aceitas pelo povo. Devido aos acontecimentos vindos à tona pelas diversas fases da Operação Lava Jato, Lula e Dilma são os principais personagens deste ano de 2017. Entretanto há aqueles que fazem o Judas Sergio Moro, o presidente Temer. Tem Judas para todos os gostos.

Por José Wilson | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário