terça-feira, março 07, 2017

Parnahyba: o filho enjeitado no esporte piauiense

Camisa do Altos com logomarca do estado do Piauí
A Associação Atlética de Altos estampa em sua camisa nesta temporada de 2017 a logomarca do estado do Piauí. Obviamente para isso recebe merecidamente o patrocínio do governo do estado.

O que se questiona é o privilégio que o governo dá a alguns clubes a exemplo do patrocínio exclusivo a equipe do Altos.

Além desse patrocínio exclusivo, a Federação de Futebol do Piauí recebe R$ 3 milhões, sendo R$ 300 mil mensais que são rateados exclusivamente com os clubes da capital: R$ 150 mil ao River; R$ 50 mil ao Flamengo; R$ 30 mil ao Piauí e R$ 20 mil ao Tiradentes que sequer disputa uma partida oficial na primeira divisão do futebol piauiense. A Federação fica responsável pelo recebimento da quantia e consequente  transferência aos clubes. Os R$ 50 mil restantes, segundo a Fundespi, são destinados ao custeio de despesas gerais com arbitragem, alimentação, hospedagem, translado.

Matéria relacionada: Paes Landim denuncia governo por discriminação contra o Parnahyba

Enquanto isso o Parnahyba Sport Club, a equipe mais antiga do futebol piauiense, que todo ano está ali entre os que disputam título, não recebe um centavo de incentivo para se manter na primeira divisão. É no mínimo curiosa essa relação do estado com os clubes.

O fato deixa muitas perguntas sem respostas. O governador tem raiva de Parnaíba? O patrocínio para a equipe de altos é porque tem uma prefeita do PT? Ou tem outras motivações?

Por José Wilson | Jornal da Parnaíba
Postar um comentário