segunda-feira, fevereiro 20, 2017

CHICO PATO: Um patrimônio vivo da manutenção de veículos em Parnaíba

Mesmo considerado como mecânica base, o motor de arranque ou de partida é um motor elétrico com escovas que tem a função de acionar o veículo até que tenha condições de funcionar sozinho, ou seja, dar a partida no carro. Sendo assim, fica inoperante após esse período, permanecendo parado mesmo enquanto o motor do carro estiver em funcionamento. Ele transforma energia elétrica em mecânica e funciona com corrente.

Estive visitando recentemente o mecânico Francisco Fernandes de Moura (Chico Pato) em sua residência na rua José Bonifácio, 149, bairro São Francisco, com quem em longa conversa, relembrou a sua história de pioneirismo em Parnaíba, no setor de manutenção de manivela, gerador alternador de automóveis, trens, caminhões, ônibus, tratores, etc.
                                                                                 
Viúvo desde maio de 2015 (era casado com Francisca Neri de Moura) Chico Pato, hoje com 78 anos, é cearense de Ubajara e chegou em Parnaíba no ano de 1962, aos 19 anos. Ao chegar, instalou na Guarita em um prédio alugado pertencente a dona Sebastiana Trajano, a primeira oficina do ramo em Parnaíba, dali se mudou para José Bonifácio,168 (quando ainda era areia) cuja oficina até hoje é dirigida pelos filhos e netos. Em Parnaíba, o primeiro alternador foi enrolado por ele, de um caminhão.

Segundo  Chico Pato, o Fusca foi o último carro fabricado com gerador e o Jeep Willis (1966) o primeiro a utilizar o sistema de alternador da frota existente em Parnaíba naquela época, com um olhar de nostalgia lembra que as firmas de José da Páschoa e Pedro Machado foram as primeiras em nossa cidade a vender bateria e foi em um já mencionado Jeep Willys, pertencente a segunda firma citada, que ele consertou pela primeira vez um alternador.

Estas (e outras tantas) valiosas informações relacionadas à história de nossa cidade, assim como fatos curiosos emergiram da boa conversa que tive com este competente profissional, que dedicou mais de 50 anos de sua vida a referida atividade, tendo também trabalhado com instalação elétrica, e que guarda na memória (e com precisão fotográfica) as diversas vezes que tirou do prego veículos em estradas do Piauí, Ceará e Maranhão, principalmente na década de 60, quando tudo era mais difícil: Eu fiz escola disse ele, no que seguiu: quantas pessoas eu ensinei a atividade e quantas aprenderam com quem eu ensinei concluiu Chico Pato, patrimônio vivo da manutenção de veículos em Parnaíba.
Arlindo Leão.

*Fonte: O Piaguí Culturalista n°112. Edição: Claucio Ciarlini
Postar um comentário