terça-feira, janeiro 10, 2017

Subindo pelos punhos da rede

Novamente minha mãe inspira com seus, como se dizia antigamente, ditados, ou como queiram os mais letrados, filosofias domésticas, esta crônica semanal, que andava meio adormecida desde quando se aproximou a passagem do Natal e do Ano Novo. Porque depois das eleições de outubro nada de mais interessante havia acontecido por estes lados do mundo, salvo alguma gente contrariada pelo resultado das eleições e que se pôs a xingar Deus e o mundo.

O povo, depois do resultado das urnas que, tanto nos Estados Unidos quanto na Parnaíba tornaram vencedores Donald Trump e Mão Santa, estava feito caboclo do interior quando vem à cidade pela primeira vez, todo aletrado. Olhando pras vitrines das lojas e se admirando da sua própria feiura. E se põe a se olhar com mais insistência procurando encontrar no brilho das lojas algum traje que se assente pra que depois ao chegar à sua aldeia, diga aos seus parentes, aderentes e agregados o quanto é interessante e ao mesmo tempo insignificante. Porque povo é bicho que não vale um tostão.

Mas tão logo chegou o Ano Novo e foram empossados prefeitos e vereadores, aqui no Piauí pouco ou nada havia acontecido. Assim coisa de monta que pudesse levantar poeira e causar alvoroço. Coisa assim de fazer fila pra tomar assento no Bar Carnaúba, no Farias, no Bar Acapulco e em toda a esplanada da praça da Graça. Mas mal as galinhas haviam se recolhido aos poleiros e os passarinhos do mato procurassem as copas das árvores, eis que lá pras bandas do Maranhão aconteceu um tremor de terra e que acabou acabando aqui na Teresina.

Ah, meu irmão! Pra quê! Tem gente até hoje, passados mais de dois dias que emenda este ocorrido à política e até aos castigos de Deus pelos que votaram no Firmino Filho em Teresina e aqui na Parnaíba em Mão Santa. Tem gente dizendo que este tremor de terra é um aviso de que nosso fim está próximo, que a Parnaíba vá se preparando porque está arriscado até ter tsunami na lagoa do Bebedouro. Tem gente que, desde o ocorrido, já nem dorme mais dentro de casa e muito menos em rede!

Tem gente associando este maldito tremor de terra à Operação Lava Jato, que pelo tempo que tem levado mais parece lavagem de pratos. Aquela coisa lenta e enfadonha que parece nunca ter fim depois do almoço. Tem gente associando este tremor de terra em Belágua ser um aviso pelo fato de, tanto o Maranhão quanto o Piauí serem governados por homens de ideologia comunista. Porque pra muita gente comunismo é coisa do cão!

Agora se é que estava faltando alguma coisa que antes não se tinha, agora acaba de se ter, principalmente na política. Tem safadeza, roubalheira, corrupção, cara de pau, enganação, falta de respeito, calote, prevaricação, imoralidade, enfim toda sorte do que não presta. Agora tem tremor de terra. Falta agora tempestade de areia nos olhos. Os meninos mais antigos, os do meu tempo, hão de se lembrar daquela tática de guerra quando se achava que a briga estava perdida pra nosso lado: encher a mão de terra, sapecar nos olhos do inimigo e sair correndo. Foi o que muita gente fez depois de outubro.

Por Antonio de Pádua

Postar um comentário