segunda-feira, janeiro 23, 2017

PM fará policiamento preventivo em áreas invadidas em Parnaíba

Proprietários de terras do Loteamento Santa Luzia, um dos alvos das recentes invasões em massa na cidade de Parnaíba, reuniram-se hoje pela manhã (23) com o prefeito Mão Santa e pediram intervenção do município para frear o movimento.  O gestor desmentiu os boatos de que ele estaria incentivando a tomada das terras e afirmou que o direito de propriedade privada será preservado.

Um dos representantes do grupo, Cristiano Bezerra, pediu o envio de um batalhão policial para garantir a ordem e a segurança no local, uma vez que os invasores montaram acampamento munidos de facão, foice e demais armas, chegando a intimidar os donos das terras. “Eles chegam bem perto da gente com facas e foices, mas já nos reunimos com o prefeito que deixou bem claro que isso não partiu dele. Nos tranquilizou o fato de sabermos que o município já está tomando as medidas cabíveis”, frisou Bezerra. Eles pediram ainda que seja feito uma revisão de alinhamento e abertura das ruas no loteamento. 

Diante da gravidade da questão, Mão Santa ligou durante a reunião para o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar do Piauí (BPM), Major Adriano Lucena, e solicitou que o mesmo providenciasse o policiamento profilático, ou seja, preventivo a fim de evitar a violência física. De acordo com o grupo, o movimento está tão organizado que eles fizeram até um sindicato, denominado de “Sindicato dos Invasores”, presidido por um senhor de nome Júlio. Para invadir os lotes, cada pessoa teria que pagar R$ 300,00 para o sindicato.

Da prefeitura, os donos das terras foram encaminhados para uma audiência com o Major Lucena no 2° BPM. O comandante Lucena garantiu que tomará as devidas providências para evitar qualquer tipo de violência ou conflito e que possíveis articulações acerca dessa situação de emergência deverão ser investigadas pela Polícia Civil. “Como nosso papel é de polícia preventiva, estamos ao lado dos verdadeiros proprietários para que possamos restabelecer a tranquilidade e que essas invasões sejam freadas”, disse o Major. 


Da redaçao
Postar um comentário