domingo, janeiro 22, 2017

Parnaíba foi a segunda cidade do Piauí que mais perdeu emprego formal em 2016

No total o Piauí perdeu mais de 12 mil vagas de emprego formal em 2016. É o pior resultado da série histórica que acompanha a evolução do emprego. Perda de vagas com carteira assinada foi maior do que em relação a 2015.

Piauí teve pior resultado na geração de empregos desde o início da série histórica (Foto: Divulgação/Governo do ES)
O estado do Piauí perdeu 12.893 vagas de emprego com carteira assinada no ano de 2016, apontaram os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (20). Ao todo foram realizadas 93.837 admissões, contra 106.730 demissões durante todo o ano passado. É o pior resultado da série histórica, iniciada em 2003, que acompanha a evolução do emprego formal.

A capital Teresina foi quem sofreu o maior revés, perdendo 9.391 empregos com carteira assinada, seguida por Parnaíba (-329) e Floriano (-203). Em termos percentuais, o setor mais afetado foi o de Serviços Industriais de Utilidade Pública, que sofreu uma redução de 33,9%. Quando levado em conta números absoluto, a Construção Civil teve a maior queda, eliminando 4.639 empregos.

Em comparação com o acumulado de 2015, houve um piora no resultado. Em dezembro de referido ano foi registrada a eliminação de 2.304 empregos no Piauí.

Quando levado em conta todo o país, as demissões superaram as contratações em 1,32 milhão de vagas formais. O emprego formal caiu em todas as regiões do país no ano passado. O Sudeste fechou 788.558 empregos com carteira assinada e, a região Nordeste, 239.239.

Na região Sul, foram cortados 146.472 empregos com carteira assinada no período e, na região Norte, outros 80.415. Na região Centro-Oeste, foram fechadas 67.310 vagas formais.

Por José Wilson / Jornal da Parnaíba com informações do Caged e G1 PI

Postar um comentário