sexta-feira, novembro 11, 2016

Operação Proclamação da PRF foca no combate ao excesso de velocidade

No Piauí, as ações já foram iniciadas na quinta-feira (10). Trecho que liga Teresina ao litoral do Piauí é o mais perigoso, segundo PRF.
PRF intensifica fiscalização nas estradas no Piauí (Foto: Divulgação/PRF)
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia nesta sexta-feira (11) a Operação Proclamação da República, que se estenderá até a próxima terça-feira (15). Durante o período, a PRF intensificará o policiamento ostensivo preventivo nos trechos com maior índice de acidentes no intuito de coibir infrações de trânsito.

No Piauí, segundo o inspetor Fabrício Loiola, as ações já foram iniciadas na quinta-feira (10) com o deslocamento das viaturas, o intuito é atender os condutores que anteciparam sua viagem. Para a realização da operação no estado foram disponibilizados 350 homens em escala de revezamento, 40 viaturas, 10 etilômetros e cinco radares.

“As infrações que nos chamam a atenção são o excesso de velocidade, as ultrapassagens e a questão da alcoolemia. Mesmo com o aumento do valor das multas, a gente ainda percebe a insistência nesses tipos de condutas perigosas. A PRF vai fiscalizar com rigor para combater esses comportamentos que têm gerado óbito das rodovias do Piauí”, informou o inspetor.

De acordo com a PRF, os trechos que merecem mais atenção por parte dos condutores piauienses se concentram na BR-343, estrada que liga Teresina a o litoral do estado, por conta do aumento no fluxo de veículos durante o período de feriado prolongado.

“São trechos com cidades de médio porte e, por isso, as pessoas precisam reduzir a velocidade, pois nesses locais há um maior fluxo de pedestres, ciclistas, crianças, animais. Atenção redobrada nesses pontos”, alertou.

Entre os trechos mais perigosos o inspetor destacou a Curva da Raposa, próxima ao município de Campo Maior, composta por curvas seguidas com estreitamento da pista, os “Retões” que antecedem a cidade de Piripiri, que, segundo ele, permitem imprimir uma velocidade mais elevada aumentando os riscos, além do trecho após Piracuruca que é longo e pode gerar certo cansaço aos motoristas, e entre Buriti dos Lopes e Parnaíba que possui várias curvas.

“Ainda não temos rodovias duplicadas o que aumenta o risco de colisões frontais e também não temos anéis viários e o fluxo precisa atravessar essas cidades. O ideal é que cada motorista preste atenção à sinalização e faça a sua parte, contribuindo para um trânsito mais seguro”, finalizou.

Fonte: G1 | Edição: Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.