quarta-feira, novembro 02, 2016

Homem aponta arma para bebê durante assalto em Buriti dos Lopes

Apenas dois policiais por dia se revezam nesta viatura para garantir a segurança dos buritienses.
Uma jovem identificada apenas pelas iniciais R.S de 18 anos e sua filha,  uma bebê de colo de 10 meses ficaram na mira de um revolver durante assalto na noite da última terça-feira(01). A ocorrência foi registrada por volta das 19h, na cidade de Buriti dos Lopes.

De acordo com testemunhas, a jovem estava sentada na calçada de um vizinho com a bebê no colo quando foi surpreendida por uma dupla em uma moto. Ao anunciar o assalto, um dos assaltantes pediu o celular, a jovem ainda tentou se recusar a entregar o aparelho, mas, ao ver uma arma de fogo apontada para seu bebê, entregou o celular. A dupla que usava capacetes saiu em disparada, deixando toda a vizinhança apavorada.

Salve-se quem puder: Com apenas dois militares por turno, cidade de Buriti dos Lopes vive insegura. A falta de policiamento vem contribuindo para o aumento dos índices de criminalidade. 

A falta de efetivo tem sido o principal motivo da crescente onda de violência que assola o município de Buriti dos Lopes. O blog recebeu a informação de que apenas dois policiais militares por turno são responsáveis para fazer a segurança da população buritiense. A informação foi confirmada por um militar que pediu anonimato. Ele nos informou ainda que quando um militar adoece, a cidade fica com apenas um policial de plantão. Algo inadmissível.

Os policiais revezam os trabalhos de atendimento ao público e patrulhamento pela cidade. O município tem cerca de 20 mil habitantes, não sendo um município pequeno, Buriti dos Lopes tem sido alvo fácil de criminosos. A falta de policiamento vem contribuindo para o aumento dos índices de criminalidade. 

Buriti dos Lopes hoje vive numa violência desenfreada, com roubos de motos, assaltos frequentes, brigas, arrombamentos, furtos, homicídios, tentativas de homicídios e o tráfico de drogas tomando de conta da cidade. Infelizmente, policiais militares afirmam que não é possível passar segurança para a população, pois além do baixo efetivo, as condições de trabalho são mínimas.

É notório que os policiais da cidade precisam de melhores condições de trabalho para garantir a ordem pública e combate efetivo á criminalidade. Esperamos que a Secretaria Estadual de Segurança tenha uma resposta rápida para este descaso, já que com apenas dois policiais militares para fazer a segurança da cidade, só nos resta rezar. É o salve-se quem puder.

Outro Lado
A reportagem do Blog tentou contato com o tenente responsável pelo GPM local, mas o mesmo não se encontrava na cidade.

Jornal da Parnaíba com informações de Frank Cardoso (Portal Boca do Povo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.