sábado, outubro 15, 2016

Central de Flagrantes de Parnaíba é um barril de pólvora com estopim aceso

Central de Flagrantes de Parnaíba
Com a carceragem da Central de Flagrantes de Parnaíba sempre superlotada de presos da justiça e sem que o secretário de segurança, Fábio Abreu e o governador do estado, Wellington Dias tomem qualquer providência para solucionar esta questão, a qualquer momento poderá acontecer uma tragédia. As fugas são constantes, mas uma rebelião poderá eclodir isto é só uma questão de tempo.

Neste sábado pela manhã (15) a carceragem já contava 63 presos e quando terminar o fim de semana, quando deverão ocorrer mais prisões, chegaremos facilmente na segunda-feira com uma simples delegacia com uma população encarcerada compatível com um presídio.

Para evitar um lotação ainda maior, os delegados plantonistas lançam mão do Termo Circunstanciado de Ocorrência - T.C.O. para crimes de menor potencial e que não causem danos a sociedade e liberam os acusados da detenção. 

Um prédio acanhado para o funcionamento de uma Central de Flagrantes e dado a grande quantidade de detentos, os policiais são obrigados a deixar os seus afazeres principais, que é proteger a sociedade, para fazer o trabalho que deveria ser de um agente penitenciário, a vistoria em roupas e alimentos levados por familiares dos encarcerados. O trabalho da Central de Flagrantes fica sobrecarregado e com suas atividades fins prejudicado pelo fato de fazer o seu trabalho e absorver o de penitenciária.

Por outro lado a Penitenciária Mista Juiz Fontes Ibiapina, com suas instalações também inadequadas, não dispõe de mais vagas e fica impossibilitada de receber novos presos. Urge, portanto a construção de um presídio em Parnaíba para solucionar essas duas questões.

Por José Wilson| Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.