terça-feira, setembro 20, 2016

Uespi é eleita 4ª melhor universidade do Nordeste

Com a nota 42,05 no RUF 2016, a instituição agora se configura entre as melhores universidades estaduais do Brasil, na 13ª posição.
Uespi ocupa o 13º lugar do país dentre as estaduais e a 4ª do Nordeste no Ranking da RUF
A Universidade Estadual do Piauí (Uespi) foi eleita a 4ª melhor do Nordeste no Ranking Universitário da Folha (RUF), publicado nessa segunda-feira (19). A instituição avançou cinco posições em apenas dois anos. O RUF é uma avaliação anual do ensino superior do Brasil feita pela Folha desde 2012. Ao todo, são avaliadas 195 universidades brasileiras.

De acordo com o estudo, a Uespi avançou ainda 44 posições em apenas dois anos, passando a ocupar a 100º posição das melhores do país. “As melhorias nos indicadores da instituição é uma conquista que envolve o trabalho em conjunto de todos aqueles que dão vida à Uespi e fazem a instituição crescer e se desenvolver. Isso é um reflexo do esforço e da dedicação de professores e técnicos, de todos os campi do estado”, declara o reitor da Uespi, Nouga Cardoso Batista, que, na noite desta terça (20), estará na cidade de São Raimundo Nonato, em aula inaugural do curso de Antropologia da Univasf, representando o governador do Estado, Wellington Dias.
Para o reitor, o resultado é um trabalho constante e coletivo. Com a nota geral de 42,05, a instituição agora também se configura entre as melhores universidades estaduais do Brasil, ocupando a 13ª posição. “Se levarmos em consideração apenas as universidades estaduais, a Uespi ocupa o 13º lugar, dando um enorme destaque ao estado do Piauí que, definitivamente, posiciona sua Universidade Estadual no rol das melhores do país”, acrescenta Nouga. A subida no ranking, em todos os critérios avaliados pelo RUF, se dá, sobretudo, por conta de melhorias na pesquisa, ensino, internacionalização, mercado de trabalho e inovação, principais indicadores levados em conta durante a avaliação.

Segundo ainda o reitor, a melhoria de projetos pedagógicos dos cursos da Uespi, implicou a subida de 23 posições de 2014 para 2016. "Além disso, o trabalho da instituição em fomentar pesquisas, trouxe como consequências avanços nos Programas de Pós-Graduação e Editais de Pesquisa e Iniciação Científica, o que representou um avanço de 40 posições nos últimos 3 anos. Durante os dois últimos anos, a Uespi ascendeu três posições no que corresponde aos indicadores de mercado de trabalho", completa Cardoso, destacando ainda que as parcerias com instituições de outros países como Inglaterra, Canadá, Espanha, Bélgica e México trouxeram diversos pontos positivos e possibilidades de ampliação de pesquisas já desenvolvidas na Uespi.

Ao longo dos últimos anos, a universidade está empenhada em atrair investimentos que ainda serão integralizados na análise de 2017. “Considerando ainda que, com a finalização do sétimo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), que iniciará sua vigência em janeiro de 2017, a Uespi criou o cenário ideal de articulação com a comunidade acadêmica, com a sociedade e com o Governo do Piauí. Espera-se, nos próximos anos, o maior salto de qualidade em seus 30 anos de história”, avalia o reitor.

Nouga acrescenta que “a orientação e apoio do governador Welington Dias para a realização de uma gestão democrática e participativa, com diálogos interinstitucional com todos os segmentos estaduais, nacionais e internacionais, o foco no planejamento participativo e com sólidas bases técnicas, dão o toque final da atual administração para a receita de futuro promissor de nossa instituição”.

Da redação do Jornal da Parnaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.