quinta-feira, setembro 22, 2016

Greve geral deixa escolas municipais de Parnaíba fechadas

Servidores da educação municipal iniciam paralisação geral e escolas amanhecem de portas fechadas.
Coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Piauí (Sintufpi), Leonardo Costa.
Como uma avalanche geral, as escolas municipais e estaduais de Parnaíba amanheceram hoje (22) com as portas fechadas. A paralisação conjunta foi motivada pela tramitação da PEC 241 e do Projeto de lei Complementar, PL P2-57, que se aprovados pelo governo, farão um rebuliço na carreira dos trabalhadores.

Na área educacional, por exemplo, os salários dos funcionários da educação ficariam congelados até 2036, sem reajuste salarial. Os gastos com a saúde a educação também seriam desvinculadas do orçamento do governo. Dessa forma, os gastos com essas áreas seriam iguais ao do ano anterior, corrigidos apenas pela inflação, sem nenhum investimento adicional. 
“A gente vê que a saúde, a educação e a segurança estão cada vez mais sendo precarizados, com os recursos cada vez mais escassos e ainda querem congelar o investimento do País durante 20 anos? Isso é um verdadeiro ataque aos trabalhadores”, protesta o coordenador do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Piauí (Sintufpi), Leonardo Costa.
Logo cedo professores celetistas e efetivos do município se reuniram no pátio da Universidade Federal do Piauí (Ufpi), em protesto contra a medida.  Ainda ontem à noite (21), surgiu a informação de que trabalhadores da educação fariam um ato em frente a Prefeitura de Parnaíba também em protesto ao não pagamento do retroativo prometido em maio deste ano pelo prefeito Florentino Neto (PT). No entanto, a Secretaria de Educação teria enviado uma carta aos sindicatos dando conta de um breve acerto com os servidores quanto ao pagamento. 

Por Luzia Paula | Jornal da Parnaíba


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Favor assinar o blog com nome e e-mail.